Iodoterapia: 7 informações Importantes para você superar esta etapa (essenciais!)

iodoterapia cancer tireoide

Vamos simplificar e entender um pouco melhor o que é a iodoterapia para o tratamento do câncer de tireoide.

 

1. Como funciona a iodoterapia?

 

O paciente submetido ao tratamento do câncer da tireoide muitas vezes se depara com a indicação de uma segunda modalidade de tratamento que é a iodoterapia ou radioiodoterapia.

As células da tireoide usam o iodo como matéria-prima para fabricar os hormônios tireóideos. Portanto, o iodo é um elemento essencial nesse processo.

A radioiodoterapia tem a finalidade de eliminar as células tumorais que captem o iodo. As células dos tumores chamados bem diferenciados tem características semelhantes às células tireóideas que as originaram. Por isso captam também o iodo para fabricar hormônio.

 

A estratégia é que o iodo funcione como uma isca. A célula tumoral, semelhante à da tireoide, capta o iodo, o qual tem propriedades radioativas. Então o iodo radioativo captado aniquila a célula tumoral e eventuais restos tireóideos, bem como atua em metástases que captem iodo.

 

2. Quais pacientes devem complementar o tratamento do câncer da tireoide com a iodoterapia?

 

A radioiodoterapia não é para ser usada universalmente para todo paciente com diagnóstico de câncer da tireoide.

 

A iodoterapia está indicada especificamente para um subgrupo com determinadas características dentro do grupo de pacientes diagnosticados com os chamados tumores bem diferenciados da tireoide, isto é, os carcinomas papilíferos e os carcinomas foliculares com indícios de maior risco de agressividade.

 

Dentro desse grupo de tumores bem diferenciados, o cirurgião de cabeça e pescoço faz uma análise.

Pelos dados do paciente, da cirurgia e do resultado da biópsia final (ou exame anatomopatológico, na linguagem médica), verifica-se se o paciente terá indicação de realizar o tratamento complementar com o iodo radioativo.

Checamos se há extravasamento do tumor ou invasão de músculo, ou se houveram metástases confirmadas. São vários critérios que são continuamente atualizados na literatura médica e nos congressos.

A partir dos critérios médicos atualizados, em conjunto com os dados de cada paciente, fazemos a individualização da conduta e decidimos juntos a melhor alternativa.

 

3. Como é o preparo para a iodoterapia?

 

O preparo é orientado e realizado pelo médico nuclear e sua equipe.

 

Existe uma especialidade médica chamada Medicina Nuclear, que é habilitada para realizar esse tratamento com iodo radioativo seguindo critérios de alta segurança.

 

A racionalidade do preparo para o tratamento envolve provocar avidez das células derivadas da tireoide pelo iodo.

Simplificando: queremos criar “fome de iodo” nas células tumorais.

 

Para isso é realizada uma dieta especial pobre em iodo.

 

Vários alimentos que são ricos ou que contêm iodo deverão ser evitados, conforme orientação do serviço de medicina nuclear. Este deverá fornecer uma lista de alimentos e produtos cuja ingestão deverá ser suspensa.

 

Dica: concentre-se em boas ideias, existem muitos alimentos sem restrição! Várias receitas interessantes estão disponíveis na internet. Basta usar um pouco de dedicação e criatividade que o período da dieta passará rápido!

 

É importante um planejamento e organização para esse período, adaptando a rotina com as recomendações.

 

O sal NÃO iodado é necessário para substituir o sal normal que utilizamos no dia a dia, que é por lei iodado.

 

Por isso muitos dos alimentos acabam tendo que ser preparados em casa.

Outra sugestão: esteja com o sal não iodado disponível facilmente em todos os lugares, ande sempre com um pouco dele na sua bolsa.

Mantenha também alimentos “coringas” sempre com fácil acesso, que possam estar à mão sempre que a fome bater.

A família muitas vezes acaba entrando na dieta junto e isso ajuda bastante o paciente. Estimule a participação de todos!

 

iodoterapia tireoide

Pipoca é permitido, mas lembre-se sempre de estar munido do sal não-iodado!

 

A mudança da rotina exige disciplina nesse período da iodoterapia, mas tenha em mente que é um esforço temporário.

 

Faça o melhor que puder para manter bons pensamentos todos os dias!

 

4. Como ficam as medicações no preparo para a iodoterapia?

 

O uso do hormônio tireóideo (levotiroxina) em geral é suspenso com semanas de antecedência ao tratamento, conforme as orientações do médico nuclear.

A falta do hormônio da tireoide no sangue faz com que o organismo perceba isso e a hipófise, uma glândula que fica na cabeça, passe a produzir o hormônio TSH, ou hormônio estimulador da tireoide.

O TSH irá estimular as células derivadas da tireoide a captarem o iodo na ocasião do tratamento, para que a radiação atinja justamente os alvos com efetividade.

Existem indicações do uso do TSH dito recombinante, fabricado por engenharia genética. Faz-se através de injeções do TSH sintético já pronto. As indicações são médicas, e levam em conta o estágio do tumor e as doenças crônicas da pessoa.

As demais medicações, para controle da pressão arterial, cálcio, diabetes, etc, em geral devem ser mantidas.

Esclareça sempre suas dúvidas com o médico nuclear ou com o endocrinologista sobre o uso das medicações e dieta.

 

Dicas preciosas para a iodoterapia

 

A administração do iodo radioativo, ou iodo 131, é feita por boca mesmo. Faz-se em geral um jejum de 2 horas apenas antes da tomada.

 

Mulheres em idade fértil que estejam grávidas não podem realizar o tratamento. Em geral, o médico pede um teste de gravidez por segurança para confirmação.

 

Como a medicação é radioativa, ela é considerada um contaminante do meio ambiente e pode ser prejudicial para gestantes e crianças.

 

Por isso, é necessário um período de isolamento, dependendo da dose da medicação.

Doses acimas de 30 mCi demandam internação, para que haja tempo suficiente da medicação ser eliminada, pela urina principalmente.

Saliva, suor e fezes são outros meios de eliminação.

 

5. Beba bastante água.

 

É fundamental a pessoa estar bem hidratada para eliminar o iodo o mais rápido e diluído possível, para que possa ter alta o mais rápido que puder e minimizar efeitos colaterais da iodoterapia.

 

O hospital se encarrega de providenciar e orientar sobre as medidas de segurança.

É feita uma medição do nível de radioatividade do paciente até que o nível de radiação permita sua alta.

 

6. Planeje boas distrações para que o período de internação seja o mais agradável possível!

 

Um smartphone, tablet ou iPad, bem como livros, filmes e revistas ajudam muito a passar o tempo.

Invente sua distração.

 

7. Peça também as orientações para após a alta hospitalar da iodoterapia. É importante tirar todas as dúvidas.

 

Pergunte para o médico nuclear ou seu endocrinologista sobre a retomada do uso do hormônio: quando e como fazer.

Geralmente a dosagem inicial da levotiroxina (nome genérico do hormônio da tireoide) é baixa e programa-se um aumento gradual da dose da medicação, até o ajuste perfeito, de acordo com a necessidade de cada pessoa.

Informe-se também da data que terá às mãos os resultados dos exames de sangue e das cintilografias (ou também chamadas de pesquisa de corpo inteiro) para levá-los ao seu médico.

 

Desejo a você uma excelente iodoterapia! Bom tratamento!

 

Este artigo tem a finalidade informativa. Toda dúvida e indicação de tratamento devem ser esclarecidos com seu médico.

 

Observação importante: Informe seus familiares sobre a importância de serem também avaliados sobre nódulos na tireoide.

 

Muitas vezes pode existir um componente genético envolvido no câncer de tireoide. Os familiares de primeiro grau devem ter mais atenção sobre a possibilidade de nódulos. Compartilhe saúde e este artigo com seus familiares e amigos.

 

 

 

Posted on 05/11/2015 in Tireoide

Share the Story

About the Author

Dr. Hugo Luz é médico e cirurgião de cabeça e pescoço pela USP (ingresso em 1998). Atua em Fortaleza-CE desde 2009 e busca focalizar seus esforços em bem-estar e saúde.

Responses (84)

  1. Jussiane
    25/10/2017 at 22:03 ·

    A dieta da algún mal estar

  2. Dr. Hugo Luz
    29/10/2017 at 15:41 ·

    Jussiane, obrigado pelo comentário!
    A dieta para a iodoterapia leva a algumas restrições de alimentos que posam conter iodo.
    Você poderá ingerir tudo, menos alguns alimentos ricos em iodo.
    E isso dura em média apenas 20 a 30 dias.
    O mal estar possível é apenas de você sentir falta de algo que pode desejar comer, quando for preciso evitar. rsrs
    A dieta em si não causa mal estar nenhum.
    Muita saúde!

  3. Elaine
    25/11/2017 at 09:58 ·

    Olá, gostaria de sabe se quem for fazer o tratamento de iodoterapia, pode pega sol ?

  4. Valquiria
    26/11/2017 at 09:05 ·

    Dr. Hugo, bom dia! Fiz tireoidectomia total há 1 ano e agora farei a iodo. É possivel as celulas cancerigenas testantes terem se espalhado novamente pelos ganglios?

  5. Janailma
    28/11/2017 at 11:34 ·

    Podemos esperar mais de 3 meses após a cirurgia para fazer o tratamento com o Iodo?
    Isso pode prejudicar em alguma coisa o paciente?

  6. Dr. Hugo Luz
    01/12/2017 at 14:21 ·

    Olá, Elaine!
    Não encontrei artigos mostrando aumento do risco de queimadura solar após a iodoterapia.
    Porém há alguns relatos fora da literatura médica.
    A iodoterapia pode provocar um efeito de peeling leve na pele.
    Portanto, sugiro que adote cautela e evite sim a exposição solar nos primeiros dias.
    Abraços!

  7. Janete
    01/12/2017 at 23:20 ·

    Nesse período antes da iodoterapia eu posso ir à praia sem entrar no mar e tomar sol? E qual bronzeador ou protetor que não contem iodo?

  8. Dr. Hugo Luz
    04/12/2017 at 23:05 ·

    Olá, Valquíria!
    Pelo que entendi você teve um câncer de tireoide que se disseminou para os linfonodos do pescoço.
    O iodo radioativo nesse caso tem a principal finalidade de aniquilar eventuais restos de tecido tireóideo normal ou tumoral.
    Com a PCI (pesquisa de corpo inteiro) é possível também avaliar o pescoço, e responder essa sua pergunta.
    Mas exames como as dosagens da tireoglobulina e anticorpo anti-tireoglobulina (se foi um carcinoma papilífero) e ultrassonografia cervical bem feitos poderão avaliar melhor a possibilidade de recidiva nos linfonodos do pescoço.
    Grande abraço e muita saúde!

  9. Dr. Hugo Luz
    05/12/2017 at 08:56 ·

    Janete, bom dia!
    O mar e o ambiente da praia são ricos em iodo.
    Mesmo que você não entre no mar, existe a maresia.
    Aqui em Fortaleza, por exemplo, ela é muito intensa.
    Por isso, os médicos nucleares recomendam evitá-los antes do tratamento, do mesmo modo que os alimentos e corantes que contenham iodo.
    Abraços!

  10. Andréia
    05/12/2017 at 08:57 ·

    Olá, bom dia! Minha mãe irá fazer iodoterapia e a primeira aplicação será dia 13 de dezembro. Ela tem ultrassom marcada para o dia 7 de dezembro. Eu gostaria de saber se ela pode ou não fazer esse exame de ultrassom?

  11. Dr. Hugo Luz
    05/12/2017 at 09:06 ·

    Oi, Janailma!
    Primeiramente, a iodoterapia nunca é realizada de imediato, porque existe um preparo que leva cerca de 1 mês.
    O retardo no início do tratamento vai depender da gravidade da doença de cada paciente.
    Nem sempre temos a resposta exata sobre qual o prejuízo no retardo da iodoterapia, mas vale o seguinte raciocínio:
    Nos casos mais leves ou de terapias só ablativas de restos tireóideos, os pacientes podem esperam mais sem maiores problemas.
    Por outro lado, em pacientes com metástases pulmonares, ou naqueles com tumores muito invasivos localmente, ou nos que tiveram as margens da ressecção cirúrgica comprometidas pela doença, bem como nas variantes mais agressivas, o pensamento muda e devemos sim agilizar ao máximo a realização do tratamento.
    Obrigado por mandar sua pergunta.
    Muita saúde e bom tratamento!

  12. Dr. Hugo Luz
    05/12/2017 at 10:36 ·

    Olá, Andréia!
    É muito importante a boa relação entre médico e paciente.
    Se um exame foi solicitado, é porque seu médico vê um benefício nele ser realizado.
    Sempre procure tirar todas suas dúvidas ao longo da consulta.
    Você pode criar o hábito de anotá-las para não se esquecer.
    Alguns serviços de medicina nuclear pedem o exame de ultrassonografia de rotina antes da iodoterapia.
    O motivo maior seria avaliar se existem restos macroscópicos de tireoide ou linfonodos suspeitos, que poderiam ter implicações no sucesso do tratamento com a radioiodoterapia.
    Portanto, sugiro que você tente entrar em contato com seu especialista ou com o serviço de medicina nuclear e confirmar com eles essas informações.
    Grande abraço e bom tratamento para sua mãe!

  13. Maria Luisa W
    08/12/2017 at 21:39 ·

    Dr Hugo, meu marido tem um nódulo na tireoide diagnosticado como não maligno, porém com indicação de cirurgia uma vez que tem um tamanho razoável. É possível um tratamento com iodo sem cirurgia?

  14. Dr. Hugo Luz
    11/12/2017 at 21:29 ·

    Olá, Maria Luisa!
    Nódulos volumosos são tratados tradicionalmente com cirurgia.
    Para nódulos benignos, os benefícios são:
    1. Taxa de cura beirando 100%;
    2. Certeza que todo o material é enviado para biópsia (análise completa de todo o nódulo), certificando-se do diagnóstico;
    3. Segurança, se a cirurgia for feita por uma equipe especializada em cirurgia de tireoide (anestesista, cirurgiões de cabeça e pescoço).
    4. Taxa de recidiva praticamente inexistente.
    A iodoterapia funciona amplamente bem para ablação de pequenas quantidade de tecido tireóideo, após a tireoidectomia por câncer, por exemplo.
    E também para tratamento do hipertireoidismo.
    Mas em relação a sua pergunta, existem poucos estudos na literatura médica o uso da radioiodoterapia para redução de nódulos na tireoide.
    Entendo que ela seria uma opção a ser discutida com seu médico, mas a iodoterapia não é o tratamento padrão nesses casos, justamente por não oferecer o controle de análise por biópsia de todo nódulo, pela possibilidade de recidiva (menor taxa de cura) e por dificultar uma eventual cirurgia se for preciso realizá-la no futuro.
    Sempre discuta todos os prós e contras com seu médico especialista.
    Grande abraço!

  15. irlene
    18/12/2017 at 19:08 ·

    Estou muito gripada e a garganta doendo, não consegui falar com meu médico o posso tomar? Farei o Iodo radioativo 50 daqui a 10 dias ,

    Obrigada

  16. Denise Uzêda
    08/01/2018 at 14:54 ·

    Dr. Hugo, boa tarde. Eu fiz a tireoidectomia total no dia 16/11/2017 por causa de 3 nódulos e o diagnóstico foi de Carcinoma Papilífero. Estou na 2 semana da dieta e me sinto muito fraca. Meu médico diz que isso é esperado devido a falta de homônimo. Eu fico muito preocupada com o tempo sem hormônio se precisar fazer a iodoterapia. Não sei se sobreviverei a isso, porque não consigo nem escovar os dentes direito. Rsrsrs. Corro algum risco em ter problemas com algum órgão vital?

  17. Dr. Hugo Luz
    14/01/2018 at 15:22 ·

    Irlene,
    É sempre bom informar seu médico sobre essas intercorrências.
    Em 10 dias, é esperado que um resfriado ou gripe já tenha se resolvido.
    Mas de qualquer forma, é mais tranquilo fazer a radioiodoterapia em condições ideais.
    Talvez eles adiem em alguns dias se for o caso.
    E lembre-se de se hidratar bem durante o tratamento!
    Abraço grande!

  18. Elaine Cristina
    16/01/2018 at 20:58 ·

    Dr . Hugo Luz, fiz a retirada total da tireoide fui diagnósticada com carcinoma papilifero , então fiz a iodoterapia dia 28 de novembro de 2017, mi tira uma dúvida quanto tempo depois posso ter vida normal sem nenhuma restrição, como eu tinha antes de faze meu tratamento?

  19. Dr. Hugo Luz
    19/01/2018 at 15:35 ·

    Oi, Denise!
    Obrigado mais uma vez pela sua participação no Blog.
    Existem basicamente 2 modos de se realizar a iodoterapia.
    O método tradicional é através de uma pausa de cerca de 1 mês na tomada do hormônio da tireoide.
    No outro modo, utiliza-se uma medicação moderna (TSH recombinante ou Thyrogen, que é o nome comercial), evitando que a pessoa fique nesse estado de hipotireoidismo transitório.
    Os sintomas que você está sentindo devem ter a ver exatamente com o fato de estar sem tomar a levotiroxina.
    São os sintomas clássicos do hipotireoidismo: sintomas depressivos, perda da vontade de fazer as coisas, desânimo, alterações do humor e irritabilidade, queda de cabelos, intestino mais preso, inchaço, ganho de alguns quilinhos indesejados, e por aí vai…
    Esse seu relato ilustra como uma prova viva o quanto o hormônio da tireoide é importante para nós e a sua reposição completa após a cirurgia é essencial!
    Estudos mostram entretanto que nossos órgãos vitais suportam bem a falta do hormônio por esse período.
    Porém, para grupos específicos de pacientes (cardiopatas, pessoas com depressão, insuficiência renal, entre outras alterações) o Thyrogen tem benefício em evitar complicações potencialmente graves da exacerbação dessas doenças.
    Sempre que o paciente pode se beneficiar desse modo mais tranquilo de se fazer a iodoterapia, essa é minha opção.
    Se você está sofrendo com a falta do hormônio, minha sugestão é que você avise logo seu médico.
    Converse com ele sobre a possibilidade de se reiniciar o hormônio da tireoide e de se utilizar o Thyrogen no preparo para a radioiodoterapia ou se ele recomendaria pelo menos alguma medicação para aliviar seus sintomas do hipotireoidismo.
    Estou na torcida para que dê tudo certo!
    Abraços!

  20. Diuma
    19/01/2018 at 18:01 ·

    Boa noite Dr.Hugo , fiquei na dúvida depois que sai do hospital e não perguntei ao meu médico, o que causa a minha radiação nas crianças,idosas e gestante? Poderia me responder?

  21. Dr. Hugo Luz
    19/01/2018 at 18:26 ·

    Olá, Elaine!
    Parabéns por ter cumprido as principais etapas do seu tratamento!
    O retorno às atividades habituais vai depender da sua situação de saúde pós-tratamento.
    Seu médico deve verificar se as taxas hormonais e do cálcio já estão adequadas e se a doença está controlada.
    Se estiver tudo bem, a recomendação é vida normal, mantendo-se o cuidado e a disciplina na tomada das medicações.
    Abraço grande!

  22. Fran carvalho
    31/01/2018 at 00:36 ·

    Boa noite Dr! Fiz uma tomografia c contraste antes da cirurgia de carcinoma p. E o médico d medicina nuclear disse q por cnota disso só vai fazer iodoterapia depois de 3 meses por conta do contraste. Faz sentido?

  23. Dr. Hugo Luz
    02/02/2018 at 12:17 ·

    Boa tarde, Diuma!
    A radiação vem do iodo radioativo que o paciente toma no tratamento.
    Existe um valor de segurança que não causa danos ao ambiente e às pessoas para que o paciente possa ter alta, sem levar contaminação com material radioativo.
    Essa precaução, tomada pelo serviço de medicina nuclear, do paciente evitar contato com crianças e gestantes por algum tempo existe porque justamente bebês e crianças estão em crescimento.
    Por isso suas células são mais suscetíveis a uma potencial mutação causada pela radiação, que poderia levar a problemas maiores no futuro, como o aparecimento de tumores.
    Siga as recomendações do médico nuclear.
    Abraços!

  24. Ane
    05/02/2018 at 06:31 ·

    Fiz tiroidectomia total em junho de 2017, realizei a iodoterapia em novembro e sigo agora com exames de controle. Mas tenho 39 anos e estou desde o dia da iodoterapia sem menstruar, isso pode ser efeito colateral do tratamento ou devido a ausencia da tireoide? tenho sintomas de irritabilidade, ondas de calor e meu medico acredita ser uma menopausa precoce mas ele não comentou se existe a possibilidade de ser momentaneo devido a iodoterapia, isso é possivel?

  25. Karla
    05/02/2018 at 22:28 ·

    Para dose de 50 mci, quanto tempo aguardar para contato com outras pessoas? Por exemplo, sentar ao lado em sala de aula.

  26. Dr. Hugo Luz
    05/02/2018 at 23:33 ·

    Olá, Fran!
    Existe um efeito bioquímico nas células ao receberem o contraste que pode atrapalhar a realização da iodoterapia de imediato.
    Justamente porque o contraste utilizado na tomografia é iodado.
    E ele pode competir com o iodo radioativo a ser administrado, atrapalhando a potência do tratamento.
    As recomendações atuais (guidelines) recomendam um intervalo de tempo para reduzir essa possível interferência.
    O médico nuclear é o profissional adequado para definir o tempo ideal.
    Muita saúde e grande abraço!

  27. Verônica
    09/02/2018 at 13:29 ·

    Olá Dr Hugo, na segunda-feira minha mãe internou e tomou o iodo 131, teve alta no dia seguinte está em casa e aparentemente bem, tive contato com ela mas fiquei distante por 2 metros (recomendação médica) porém logo depois comecei a me sentir mal, com mal estar enjoo, fadiga, meu pai também se sentiu mal, é normal isso ? Tem algum tipo de problema ?

  28. Dr. Hugo Luz
    14/02/2018 at 18:12 ·

    Olá, Ane!
    A iodoterapia excepcionalmente pode sim afetar a capacidade da mulher ovular e, consequentemente, menstruar.
    Essa alteração pode ter relação com alterações hormonais, caso você tenha ficado em hipotireoidismo transitório para sensibilizar a radioiodoterapia.
    E também existem os fatores relacionados à própria duração natural da fase reprodutiva da mulher, que varia para cada pessoa, afinal toda mulher um dia deve chegar no período da menopausa.
    Portanto, minha sugestão é que você procure primeiro seu endocrinologista ou cirurgião de cabeça e pescoço para checar seus níveis hormonais (reposição hormonal da tireoide). Em paralelo também passe com seu ginecologista, para avaliar a parte ovariana. Bom mesmo seria haver um diálogo entre os especialistas para que possam ajudá-la da melhor forma possível.
    Abraço grande!

  29. Joana Santos
    15/02/2018 at 19:27 ·

    Boa noite, tenho quatorze anos e vou fazer este tratamento daqui a um mês. Vou ficar internada e queria saber se durante o internamento a minha mãe pode ficar comigo. Obrigada

  30. Dr. Hugo Luz
    15/02/2018 at 22:55 ·

    Boa noite, Karla!
    A dose de 50mCi é considerada baixa, muitas vezes realizada de forma ambulatorial. Isto é, o paciente toma a dose e no mesmo dia muitas vezes já pode ter alta.
    Claro, existem algumas restrições por precaução, principalmente para quem tem potencial contato com crianças e gestantes.
    Os serviços de medicina nuclear costumam aconselhar que a pessoa evite o contato com os mesmos por 7 a 14 dias, conforme cada caso individualmente.
    Bom tratamento e muita saúde!

  31. Dr. Hugo Luz
    15/02/2018 at 23:21 ·

    Boa noite, Verônica!
    Os serviços de medicina nuclear adotam protocolos seríssimos de segurança para liberarem um paciente de alta.
    É bem provável que possa haver algum outro fator (que não a iodoterapia da sua mãe) que você e seu pai foram expostos que possam ter causado tais sintomas.
    De qualquer forma, sugiro que procure ajuda médica para o diagnóstico e condução da saúde de todos!
    Espero que fiquem bem!
    Abraços!

  32. Wesley
    17/02/2018 at 11:52 ·

    Boa tarde! Fiza tireoidectomoia em duas etapas, seguida de linfanadenectomia. Alguns meses depois comecei a sentir zumbido no ouvido esquerdo, dormência no braço esquerdo e passei a sofrer com um estrabismo, segundo o oftalmologista, vertical. Esses sintomas têm relação com a cirurgia e a iodoterapia? Outra dúvida, trabalhei e um setor de material bélico com alguns produtos químicos isso pode ter influenciado o desenvolvimento desse câncer?

    Grato

  33. Andrea Christine
    20/02/2018 at 21:07 ·

    Boa noite Dr,
    Meu marido teve 4 nódulos, sendo que dois com carcinoma pap.,Fez a retirada da tireoíde e dos nódulos em outubro de 2017, Vai fazer agora em 12 de março a Iodoteraia. O médico nuclear falou pra não fazer exercício desde ontem. Pode me falar o que acontece e porque não pode se exercitar?

    Agradeço desde já a resposta.

    Andrea Christine

  34. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 11:44 ·

    Olá, Joana!
    Obrigado por mandar sua pergunta, ela é muito pertinente!
    A necessidade de internação depende da dose da medicação e o serviço de medicina nuclear poderá dar a vocês essa resposta.
    Em geral, não é aconselhado que entre mais alguém que não está em tratamento, pelo risco do acompanhante receber uma radiação evitável.
    Porém, não é legal fazer o tratamento desacompanhada.
    Assim, o serviço de medicina nuclear pode achar alguma solução para evitar essa situação da sua mãe receber radiação desnecessária, mas também você não ficar desacompanhada.
    Você poderia, por exemplo, ter a companhia de uma outra paciente que possa fazer o mesmo tratamento que você.
    Sugiro que converse com seu médico nuclear para encontrarem a melhor solução!
    Abraço grande e um ótimo tratamento!

  35. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 12:36 ·

    Boa tarde, Wesley!
    Sugiro que contacte diretamente seu médico sobre esses sintomas todos, para que ele possa ajudá-lo a fazer um diagnóstico. E, assim, tomar de conduta médica ou encaminhar a outro especialista.
    Existem produtos químicos envolvidos no desenvolvimento do câncer, alguns com comprovação científica de nexo de causa.
    Por isso, existem protocolos de proteção ocupacional quando esses produtos de risco são manipulados.
    Obrigado pela sua participação no Blog e muita saúde!

  36. Cintia
    28/02/2018 at 14:11 ·

    Dr. Boa tarde!
    Vou fazer iodorerapia dia 23 de março porém estou desde dia 18 de janeiro sem tomar hormônio. Estou sentindo mto os efeitos colaterais como formigamento, inchaço, fraquezas, e falta de ar, gostaria de saber se corro algum risco por ficar mais de 2 meses sem o hormônio. Estou mto preocupada com esses sintomas, pois ano passado já tinha feito a iodorerapia. E nao fiquei tão mal como estou desta vez. Existe algo que posso amenizar esses sintomas até o dia do tratamento?

  37. GIULIANA
    02/03/2018 at 09:51 ·

    Bom dia Dr,

    Realizei a radioiodorerapia no dia 28/02. Devido ao tipo de tumor que eu tinha, minha médica decidiu que seria melhor e mais seguro interromper o uso do hormônio para o procedimento. Estava a quase 2 meses sem o o uso do t4. Só voltei a fazer uso do hormônio hj, 02/03. Passei um dia internada. Durante o internamento fiz uso de medicação anti emetica por via intramuscular e não senti tanto enjoo, mas ontem depois que sai do hospital, estou sentindo mto enjoo e vomitando mto. To fazendo uso de dramim por via oral, mas a sensação do enjoo não melhora desde ontem. Não estou conseguindo me alimentar, e beber água só aos pouquinhos e mesmo assim é difícil segurar no estômago. Gostaria de saber por mais qt tempo ficaria esse enjoo. Após a iodoterapia.
    Estou mto fraca e sentindo um cansaço fora do comum, já voltei a fazer uso do t4 hj.

  38. Lucas
    04/03/2018 at 04:16 ·

    Boa dia doutor, minha irmã realizou o procedimento em uma quinta feira de manhã para tratar um nódulo e hipertiroidismo, ela tomou a dose mínima de 30 mci. O médico disse que no domingo ( 72 horas depois ) ela poderia ver meu sobrinho normalmente, ele tem quase 11 meses, ela pegou ele por instante na madrugada de sábado para domingo (66 horas) pois eles estava chorando, tem algum problema ? Ps: ela estava e continua mantendo distância todo o período.

  39. Dr. Hugo Luz
    11/03/2018 at 09:01 ·

    Olá, Andrea Christine!
    Não tinha ouvido falar ainda sobre esse tipo de recomendação para a iodoterapia.
    Como era novidade para mim, consultei um amigo que é médico nuclear e ele, assim como eu, também não recomenda a interrupção da realização de exercícios físicos.
    Portanto, sugiro que vocês conversem diretamente com seu médico para que possamos entender qual o motivo dessa recomendação tão específica.
    Abraço grande e bom tratamento para ele!

  40. Dr. Hugo Luz
    11/03/2018 at 09:09 ·

    Olá, Cíntia!
    Dentro do preparo tradicional para a iodoterapia, em que ocorre a interrupção da tomada do hormônio da tireoide (levotiroxina), os médicos nucleares buscam um alvo de TSH para iniciar o tratamento.
    Acontece às vezes do paciente atingir esse alvo mais cedo do que o médico possa estar prevendo.
    Acima de um determinado valor, o paciente já teria condições de realizar a iodoterapia.
    Sugiro que converse com seu médico se não seria factível adiantar a coleta do TSH e dar início logo ao seu tratamento para que você evite esses sintomas ruins.
    Logo que fizer o tratamento, seu médico deverá recomendar o reinício do hormônio e tudo deverá melhorar em alguns dias.
    Existe também alguns medicamentos que podemos usar para contornar e atenuar alguns dos sintomas do hipotireoidismo.
    Nesse caso seria interessante você conversar com seu endocrinologista ou com o cirurgião de cabeça e pescoço.
    Muita saúde!
    Abraço grande, Cíntia!

  41. Luisa
    16/03/2018 at 13:41 ·

    Boa tarde Dr. Hugo

    A iodoterapia está agendada para o dia 04/04/18. Recebi um folheto com as orientações, proibições e permissões mas tenho duvidas e preocupações em relação aos cuidados que devo ter. Iniciarei a dieta este final de semana e não sei quando posso voltar a ter a alimentação normalizada, com sal iodado, outra dúvida é quanto aos cosméticos, pois estou habituada a usar maquiagem e gostaria saber se posso continuar a utilização de lápis, delineador e rímel nos olhos. No folheto está especificado a suspensão de batom e bronzeadores. Encaminhei minhas dúvidas ao Centro de Medicina Nuclear, onde agendei, mas não obtive resposta. Fui informada também que tomarei o iodo pela manhã e poderei retornar a cidade onde moro, a 450 km de distância no mesmo dia. Poderei voltar de avião? Agradeço a sua atenção.

  42. Dr. Hugo Luz
    17/03/2018 at 22:06 ·

    Olá, Giuliana!
    Em primeiro lugar, sempre que sentir algo fora do normal no assunto saúde, é essencial contactar seu médico ou um serviço de urgência.
    As náuseas podem ser causadas somente pela super ingestão de água, mas podem ter outros fatores causadores, como alterações possíveis da função renal pelo hipotireoidismo, por exemplo.
    Por isso, a avaliação clínica é fundamental.
    Quando o uso da levotiroxina (hormônio da tireoide) é retomado, aos poucos os sintomas do hipotireoidismo, como a fraqueza e o cansaço que você relatou, vão melhorando.
    Boa recuperação!
    Abraço grande!

  43. Dr. Hugo Luz
    17/03/2018 at 22:14 ·

    Olá, Lucas!
    A recomendação do médico nuclear é para a segurança de todas as pessoas que convivem com a pessoa tratada com a radioiodoterapia.
    Os prazos são baseados na meia vida do radioiodo (tempo de degradação da medicação radioativa).
    Por isso, o ideal é sempre cumprir as recomendações médicas.
    Elas são feitas para resguardar a segurança e saúde de todos.
    O fato do seu sobrinho ter tido contato com ela um pouco antes do tempo recomendado não quer dizer que ele venha a sofrer alguma consequência dessa proximidade no futuro, as chances devem ser baixas.
    Mas, de qualquer forma, acho importante que o médico nuclear dela e o pediatra dele estejam cientes do ocorrido.
    Abraços!

  44. Dr. Hugo Luz
    26/03/2018 at 17:09 ·

    Luísa, boa tarde!
    O preparo para a iodoterapia causa muitas dúvidas mesmo.
    Sobre a alimentação, após a iodoterapia, o médico nuclear já deverá liberar sua dieta normal.
    As restrições em relação ao uso de cosméticos são relacionadas principalmente a produtos de contêm corantes da cor vermelha, porque podem ter iodo na sua composição.
    Os centros de medicina nuclear costumam ser bem solicitados, por isso, talvez sua dificuldade de obter respostas.
    Acredito que seja interessante buscar outro modo de comunicação (por telefone, p.e.) ou mesmo ir ou pedir para alguém da sua confiança ir até o local para tirar suas dúvidas mais pontuais.
    Doses de iodo ditas ambulatoriais são bem baixas e permitem que o paciente tenha alta no mesmo dia.
    Abraço e bom tratamento!

  45. Bianca
    05/04/2018 at 21:30 ·

    Dr. Hugo, muito obrigada pelo seu conteúdo, altamente didático. Gostaria de saber se é possível fazer esse acompanhamento pós cirurgia com um cirurgião que não foi o que operou, em caso de descontentamento com o médico.

  46. Fabrício
    15/04/2018 at 02:57 ·

    Entrei no site p tirar algumas dúvidas em relação a este tipo de câncer, devido um amigo ter tido!
    Quero desejar muito sucesso ao Sr. Dr. Hugo, pela generosidade em todas as respostas! Parabéns pela profissão exercita e que o senhor desfrute do melhor desta vida!
    Grande abraço!

  47. Samara Anne
    16/04/2018 at 14:28 ·

    Olá Dr. eu tive dois cistos e um nódulo que segundo a biopsia eram benignos, mas mesmo assim tive que fazer a hiodoterapia a uns 4 anos. Gostaria muito de saber se existe a minima possibilidade de algum dia eu ter novo cisto ou nódulo na tireóide. Por favor responda-me pois não ha nada sobre isso em nenhuma materia sobre o assunto. Obrigada

  48. Jana
    20/04/2018 at 13:53 ·

    Olá, Dr. Hugo!
    Por gentileza, gostaria de esclarecer umas dúvidas. Na saída da dose terapêutica, a rotina rápida da equipe médica não consegue abordar.
    No dia 05/03, retirei a tireóide inteira com um nódulo maligno. Estou desde então sem hormônio.
    Fiz a dose terapêutica de 100 no dia 17/04, às 14h. Saí em 19/04, às 8h, com a medida monitorada pela Fisica nuclear = 2. Isso é bom? Qual a média de medição (eliminação da radioatividade) neste intervalo de tempo?
    Farei a PCI no dia 27/04. Este intervalo grande não prejudica o resultado reduzindo muito a concentração do iodo que poderia ou não ser detectado?
    E por fim, eu posso cozinhar para mim? Posso pegar nos alimentos? Não estarei os contaminando e ingerindo?
    Muito obrigada e Parabéns pelo espaço que nos traz informações relevantes de forma didática.
    Abs

  49. THAIS TATIANE
    22/04/2018 at 15:00 ·

    OLA DR.

    TENHO BOCIO NA TIREOIDE, NA QUAL ESTA 3X MAIOR QUE O TAMANHO NORMAL . TENHO HIPERTIREOIDISMO . HÁ OUTRA FORMA DE TRATAR O BÓCIO ?

    DESDE JÁ AGRADEÇO .

  50. Dr. Hugo Luz
    25/04/2018 at 10:05 ·

    Olá, Bianca!
    É possível sim fazer seu acompanhamento com outro cirurgião que não seja o que a operou, desde que o médico aceite.
    O binômio médico e paciente devem andar em boa sintonia!
    Fico muito feliz que o conteúdo tenha ajudado.
    Obrigado pela mensagem.
    Muita saúde e felicidades!

  51. Dr. Hugo Luz
    06/05/2018 at 17:12 ·

    Olá, Fabrício!
    Fico muito feliz pelo comentário e pela mensagem.
    Esse é o melhor combustível para continuar escrevendo por aqui.
    Que Deus os ilumine e proteja!
    Muita saúde para você, seu amigo e toda família!

  52. Dr. Hugo Luz
    06/05/2018 at 17:43 ·

    Olá, Samara!
    É provável que a iodoterapia que você realizou tenha sido para controle dos hormônios da tireoide.
    O uso da radioiodoterapia para tratamento de nódulos não é bem estabelecido.
    Por isso, é provável que no seu caso seja necessário o acompanhamento médico rotineiro tanto da situação hormonal quanto da evolução dos nódulos da tireoide, porque eles podem crescer sim ao longo do tempo ou surgirem outros novos.
    Abraço grande e muita saúde!

  53. Rosi
    08/05/2018 at 20:24 ·

    Olá doutor, eu tomei o iodo 131 no dia 03/05 /18 e tive alta no mesmo dia. Eu tenho cinco nódulos na tireoide mas são benignos graças a Deus! Após a dose no dia 05 /05 comecei a sentir dores na garganta! Voz pesada! Febre! Dores no corpo! E meu pescoço inchou!!! É normal???? O que devo fazer????
    Corro risco de adquirir o hipotireoidismo????
    Por favor me ajudE. Tire minhas dúvidas

  54. Ana Paula
    09/05/2018 at 10:09 ·

    Dr Hugo bom dia.
    Existe uma dose maxima que uma pessoa pode tomar de Iodo?

    Obigada.

    Ana.

  55. Kaline Name (required)
    12/05/2018 at 20:53 ·

    Boa noite,
    Gostaria de saber quanto tempo após a dose de 150 poderei retomar alimentação normal?
    Obrigada

  56. Ana Lucia
    15/05/2018 at 14:35 ·

    Dr. Hugo,

    Estando a pessoa no oitavo dia de dieta para iodoterapia, é natural o surgimento de gânglios pelo corpo? Nesse caso, cito três grandes gânglios moles na coxa próximo ao joelho.

  57. Dr. Hugo Luz
    15/05/2018 at 23:16 ·

    Olá, Jana!
    Existem alguns serviços que adotam a suspensão do hormônio de imediato para a realização da iodoterapia em seguida.
    Os médicos nucleares têm protocolos de segurança da medida da radiação para permitirem a alta com segurança.
    O intervalo para a realização da PCI também é um parâmetro controlado pelo médico nuclear, de acordo com a dose realizada.
    Sobre cozinhar após a iodoterapia, não há problemas! Pode sim pegar nos alimentos normalmente.
    Abraço grande e muita saúde!

  58. Dr. Hugo Luz
    15/05/2018 at 23:31 ·

    Olá, Thaís!
    O hipertireoidismo pode ser tratado basicamente de 3 formas principais: com medicamentos anti-tireóideos, com radioiodoterapia ou com cirurgia.
    Cada caso é analisado individualmente sobre uma série de fatores para a busca da melhor decisão.
    Abraço grande e muita saúde!

  59. Geverson
    17/05/2018 at 16:49 ·

    Olá Dr°!

    Gostaria de saber referente a dosagem de iodo a ser tomada no tratamento, minha esposa precisará fazer esse tratamento, por isso gostaria de esclarecer essa que é uma das nossas duvidas.

  60. Sílvia Mota
    28/05/2018 at 23:38 ·

    A minha irmã precisará fazer cirurgia de tireoide e o médico informou que o tratamento após a cirurgia é a radioiodoterapia. Ela diz que tem alergia ao iodo. Como será, então, o tratamento dela? Estou preocupadíssima! Ela poderá fazer a radioiodoterapia?

  61. Claudinéia
    03/06/2018 at 15:36 ·

    Boa tarde Dr. Tomei a dosagem da iodoterapia dia 17/05 o Dr. Da medicina nuclear falou que eu não iria ter reações, mas Des. Da data que tomei estou MT mal com muita náuseas enjoo, sem paladar sem fome, dor na região do pescoço dor de cabeça , dia 23 tive que ir no hospital da minha cidade e tomei soro com vitaminas estou sentindo muita fraqueza e perdi 4 kilos por não me alimentar direito, pois tento mas tudo q como faz mal.oque faço? Dia 06 volto a trabalhar mas cinto que não vou aguentar por causa da fraqueza, oque devo fazer?

  62. Dr. Hugo Luz
    03/06/2018 at 23:53 ·

    Oi, Rosi!
    É provável que a sua iodoterapia tenha sido destinada ao tratamento do hipertireoidismo.
    Quaisquer sintomas ou alterações que sentir devem ser comunicadas ao seu médico, para que ele possa ajudar você a minimizar ou contornar possíveis efeitos colaterais do tratamento.
    Após a iodoterapia, existe sim um risco da produção hormonal cair e gerar o hipotireoidismo, mas esta doença é muito mais tranquila de se controlar do que o hipertireoidismo.
    Abraço grande e muita saúde!

  63. Dr. Hugo Luz
    03/06/2018 at 23:55 ·

    Olá, Ana Paula!
    Existe sim uma dose máxima preconizada para a iodoterapia.
    O médico nuclear é o profissional mais indicado para definir o quanto pode ser vantajoso ou perigoso se repetir ou aumentar uma dose de iodo.
    Abraços!

  64. Dr. Hugo Luz
    05/06/2018 at 21:52 ·

    Olá Kaline!
    Após a dose de iodo e a alta hospitalar, a alimentação normal está liberada.
    É importantíssimo manter uma excelente hidratação ao longo da semana que sucede o tratamento.
    Abraços e muita saúde!

  65. Dr. Hugo Luz
    05/06/2018 at 22:17 ·

    Ana Lúcia, boa noite!
    A privação do iodo na dieta a princípio não deve ter relação com os gânglios na coxa.
    O ideal é que você comunique seu médico sobre o ocorrido, para que ele possa avaliá-la e tomar a melhor conduta frente a esses linfonodos.
    Essa área costuma corresponder à zona de drenagem linfática do pé e da perna.
    A avaliação médica ajudará a verificar o que pode estar ocorrendo.
    Abraço grande e muita saúde!

  66. Dr. Hugo Luz
    05/06/2018 at 22:28 ·

    Olá, Geverson!
    A dosagem do iodo é calculada pelo médico nuclear, baseado nas características de cada paciente, bem como cada tipo e extensão de doença.
    Abraços!

  67. Patrícia Gomes
    10/06/2018 at 09:36 ·

    Eu retirei a tireoide faz 9 anos e não precisei fazer iodoradioterapia mas faço a PCI. Estou fazendo a terceira e dessa vez, estou sentindo um efeito na boca, está amarga e inchada desde que comecei a dieta e já estou sem remédio faz 15 dias.
    Tem algo que possa fazer caseiro pra melhorar esse sintoma? Pq não posso prejudicar minha dieta e ela é bem restritiva.
    Obrigada

  68. Dr. Hugo Luz
    11/06/2018 at 17:25 ·

    Olá, Sílvia!
    Em geral não há problemas de se fazer a iodoterapia para pacientes alérgicos, porque a alergia não é ao iodo em si, mas sim a outros componentes que vem junto a ele.
    Minha sugestão de leitura é no site da American Thyroid Association.
    Segue o link para você conferir, a explicação fica no terceiro item (“RAI is safe to use in individuals who have had allergic reactions to seafood or X-ray contrast agents, since the reaction is to the compound containing iodine,
    not the iodine itself.”):

    https://www.thyroid.org/wp-content/uploads/patients/brochures/Radioactive_iodine_brochure.pdf

    Converse com seu médico nuclear a respeito.
    Abraço grande!

  69. Miri
    16/06/2018 at 15:43 ·

    Ola!boa tarde ..queria saber se quando o cancer na tireodia esta no inicio e nao tem nenhuma invasao e bem pequeno se e preciso fazer a iodoterapia..

  70. Ana
    22/06/2018 at 10:22 ·

    Doutor, fiz cirurgia em novembro de 2017, tirectomia total. Constatou-se carcinoma papilar variante folicular. O médico recomendou aplicação de iodo, 30mci. Irei fazer no dia 25 de julho. Fiquei sabendo que depois de 6 meses de cirurgia não há mais necessidade de fazer. Isso procede? Doutor faz duas semanas que estou com muito forte na testa e dor em engolir. Fui na farmácia não tenho nada de infecção aparente na garganta. Nem sinusite. É só o remédio paracetamol, a dor me alucina. Será que o paracetamol posso tomar durante o preparo para aplicação do iodo? Se não puder peço a recomendação de outro remédio
    Grata por sua atenção.

  71. Iveti
    29/06/2018 at 16:48 ·

    Boa tarde Doutor! Fiz a retirada da tireóide completa e vou fazer a iodoterapia em regime ambulatorial no dia 04/07, porém estou com algumas dúvidas, como por exemplo, se estarei liberada da dieta pobre em iodo no mesmo dia e se já posso começar a tomar hormonio no mesmo dia. O laboratório me passou algumas restrições para o pós que também estão me deixando meio confusa, passei para meu médico mas ainda não tive retorno. Não poder dormir junto com meu marido e não utilizar o mesmo banheiro. Lavar separadamente utensílios de cozinha e roupas. Realmente se faz necessário tudo isso?

  72. Dr. Hugo Luz
    30/06/2018 at 16:59 ·

    Boa tarde, Claudinéia!
    A radioiodoterapia pode ter sim efeitos colaterais, por isso sua indicação deve ser bem ponderada.
    O iodo é eliminado não só pelo rins, mas também pelas glândulas salivares.
    Assim, se ele permanecer muito tempo e de forma concentrada na boca, poderá causar diminuição da saliva e alterações no paladar.
    Os efeitos colaterais podem ser minimizados ou evitados através de uma hidratação vigorosa no dia e na semana subsequente à tomada da medicação.
    Ao tomar muito líquido, o iodo que passa pela saliva é mais diluído e fica menos tempo por ali.
    Os efeitos colaterais também dependem da dosagem do radioiodo aplicado: doses baixas tendem também a dar menos sintomas.
    Sugiro que converse sempre com seus médicos para uma orientação direta no sentido de identificar a causa clínica dos seus sintomas e para atenuá-los.
    Mesmo com um profissional da nutrição poderá ajudá-la na sua alimentação.
    Abraços!

  73. Dr. Hugo Luz
    25/07/2018 at 11:42 ·

    Olá, Patrícia!
    A privação do hormônio da tireoide pode gerar os sintomas às vezes desagradáveis do hipotireoidismo.
    Sugiro que ingira mais líquidos e frutas!
    Eles deverão ajudar a tirar o amargor da boca.
    Abraço grande!

  74. Dr. Hugo Luz
    20/08/2018 at 16:08 ·

    Olá, Miri!
    Existem vários critérios para se indicar a radioiodoterapia.
    Quando o câncer é detectado em estádios inicias, sem critérios de maior agressividade ou risco de recidiva, o iodo não está indicado.
    Essa é uma das grandes vantagens do tratamento precoce do câncer da tireoide.
    Consulte seu especialista para confirmar que não exista critérios para se indicar a radioiodoterapia.
    Muita saúde!

  75. Dr. Hugo Luz
    22/08/2018 at 17:23 ·

    Olá, Ana!
    Após a cirurgia da tireoide por câncer, avaliamos a biópsia final e os fatores de risco para uma recorrência futura.
    Assim, fazemos um novo estadiamento após a cirurgia, que nos guiará nos passos seguintes, e sobre fazer ou não a iodoterapia.
    Esse dado sobre a perda de efetividade da iodoterapia após 6 meses da indicação de fato não procede.
    Sobre os seus novos sintomas, de dor na testa e dor ao engolir, precisa ser avaliada pelo seu médico ou por um otorrinolaringologista.
    Os médicos (e não os farmacêuticos) que são os profissionais indicados para sua avaliação, diagnóstico e condução terapêutica da saúde das pessoas.
    Tenha cuidado extremo com a auto-medicação, ainda mais se a dor que você nos refere é tão intensa.
    Sugiro que avise seu médico dos novos acontecimentos.
    Abraço grande e muita saúde!

  76. Dr. Hugo Luz
    19/02/2019 at 13:55 ·

    Boa tarde, Iveti!
    Os serviços de medicina nuclear adotam uma série de cuidados no sentido de minimizar o efeito da radiação sobre as outras pessoas, principalmente as mais próximas do paciente.
    O ideal é ter um canal aberto de comunicação com o serviço de medicina nuclear para esclarecer todas essas dúvidas.
    Sugiro que siga as recomendações do seu médico.
    Abraço grande!

  77. Elaine
    22/04/2019 at 11:28 ·

    Há uma pessoa que fez o procedimento de radiação com iodo.
    Foi internado de quinta pra sexta e a tarde(sexta) retornou para casa. Na segunda retornou a trabalhar.
    A pessoa que fez o procedimento, cumprimentou a outra pessoa com as mãos.
    Há algum perigo de ter recebido radiação?
    A pessoa mencionou que tem que ficar longe de idoso e grávida.
    Mas quem está com a imunidade baixa, tem probabilidade maior de receber?
    Grata!

  78. Dr. Hugo Luz
    24/04/2019 at 10:29 ·

    Olá, Elaine!
    Quando a pessoa tem alta do local onde fez a iodoterapia, é porque a radiação presente no corpo do paciente já permite que ela tenha contato com outras pessoas.
    O cuidado maior em não receber radiação é sempre com as gestantes, porque os bebês estão em formação nessa fase.
    De qualquer forma, o ideal é o médico nuclear passar as recomendações específicas individualizadas para cada pessoa após a alta.
    Abraço grande e muita saúde!

  79. Matheus
    30/04/2019 at 18:05 ·

    Dr Hugo Luz tudo bem??

    Me chamo Matheus e atualmente possuo 24 anos,. Tive cancer de tireoide ano passado após 2 anos de tratamento para a doença de graves.
    Após a descoberta fiz todos os procediemtons necessarios e após a IODO em julho do ano passado e eu perdi o paladar 1 semana após sair do hospital. perdi completamente.

    Hoje estou sentindo algumas sensações e uns sabores distitintos, como sinto o doce totalmente, nao sinto o azedo e nem amargo, o sal eu sinto apenas a sensação do salgado mas não sinto o sabor em si da comida.

    VocÊ sabe se existe algum tipo de tratamento similar ao que fazem com cegos / surdos para poderem melhorar a qualidade de vida, desenvolvendo melhor os outros sentidos?

    Faz uns 2 meses que não sinto nenhuma evolução no meu paladar e hoje estou procurando algum tratamento para poder pelo menos melhorar a minha qualidade de vida.

    Desde de já agradeco as informações no blog e a sua disposição!

    Matheus

  80. nildriana lima
    19/05/2019 at 09:19 ·

    Bom dia ! A minha mãe fez a iodo terapia com dose de 150 mCi de iodo 131! A pós a iodo ela fez a pci e notou-se presença de concentrações fisiológicas do radiodo em glândulas salivares, fígados, alças intestinais e bexiga! O que se pode dizer sobre isso dr?
    E o tumor dela e maligno

  81. Dr. Hugo Luz
    21/05/2019 at 14:00 ·

    Olá, Nildriana!
    O iodo é um elemento que tem uma circulação natural dentro do nosso organismo.
    Logo, ele passeia pelo corpo e também tem um caminho para ser eliminado.
    Em um exame de PCI (pesquisa de corpo inteiro), utilizado para rastrear tecidos que possam captar iodo, ele costuma ser flagrado nesse caminho natural.
    Essa captação normal costuma aparecer na maioria dos exames, e o médico nuclear descreve isso no laudo.
    Um grande abraço e muita saúde!

  82. Dr. Hugo Luz
    22/05/2019 at 12:40 ·

    Olá, Matheus!
    Na ocasião da iodoterapia, pela eliminação natural do iodo pela saliva, pode ocorrer, como efeito colateral do tratamento, a alteração do paladar.
    Isso ocorre porque o iodo é eliminado também pelas glândulas salivares menores, espalhadas pela boca e pela língua.
    Assim, as papilas gustativas que ficam na região, podem ser afetadas e, por conseguinte, o paladar.
    Esse é um dos maiores motivos para sempre ponderarmos na indicação e na dosagem da iodoterapia.
    Existe um estudo que mostra que esse efeito colateral é mais frequente com doses mais altas de iodo.
    Por isso, sempre recomendo aos meus pacientes a se hidratarem muito bem quando vão para a iodoterapia.
    Geralmente essas alterações de paladar, quando ocorrem, costumam ser transitórias e melhoram com o tempo em até 6 meses.
    Entendo que é fundamental o acompanhamento com seu especialista e também comunicar o médico nuclear sobre essa alteração.
    Grande abraço!

  83. Bete
    08/10/2019 at 00:10 ·

    Olá Dr° Hugo,
    Fiuza retirada da tireóide total em Março e é Julho fiz a iodoterapia de 150 , tive várias reações desagradáveis a retomada do hormônio, uma delas que me incomoda bastante é sentir que minha cabeça parece que tem água dentro e, ou ardência com frequência tonturas e formigamentos na cabeça m isso é comum?
    Também estou em tratamento da hipófise com carbegolina, tem relação, apesar que começou os sintomas uns 20 dias.

  84. Dr. Hugo Luz
    09/10/2019 at 08:25 ·

    Oi, Bete!
    Não é esperado esse tipo de sensação na cabeça com o uso do hormônio da tireoide.
    Poderia eventualmente ter relação com uma dosagem não ideal ainda não ajustada no início, mas mesmo assim não é um sintoma que deva ser relacionado.
    Outro fator que fala contra essa hipótese é o fato da sua cirurgia ter sido há meses, e só agora relatar esses sintomas.
    Pela temporalidade, se o tratamento da hipófise começou mais recente, há uma chance de ter relação com ele.
    Também seria interessante saber como estão seus níveis de cálcio, que também poderia gerar sintomas de formigamentos.
    Reagende com seu endocrinologista e relate a ele esses seus novos sintomas.
    Abraço grande e muita saúde!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top