Cirurgia de tireoide: como Ajudar na Boa Recuperação e Evitar complicações no Pós-operatório

cuidados curativo tireoide

Conhecer o pós-operatório da cirurgia de tireoide com antecedência tranquiliza, confere segurança e naturalidade ao paciente.

 

As alterações esperadas do período pós-operatório devem ser conhecidas pelo paciente idealmente antes da cirurgia.

 

A cirurgia de tireoide tem algumas particularidades que devem ser sabidas por todos que se submeterão ao procedimento, para diminuir a ansiedade e resolver prontamente eventuais intercorrências.

 

Continue sua leitura para aumentar seu conhecimento.

 

É importante conhecer as etapas esperadas para saber quando se comunicar com seu médico se algo fugir do habitual.

 

Pergunte sempre e siga as orientações do seu cirurgião e equipe cirúrgica. Cada profissional tem sua rotina no pós-operatório.

 

Vamos falar um pouco de pontos específicos que muitas vezes são comuns à maioria das equipes.

 pós-operatório cirurgia de tireoide

 

1. Imediatamente após a cirurgia de tireoide

Após acordar da anestesia ainda em sala de cirurgia, o paciente deve manter um despertar tranquilo.

A pessoa passa para uma maca de transporte e, dependendo da estrutura do hospital, já pode ver os familiares rapidamente.

Segue então para a chamada sala de recuperação pós-anestésica.

Ali outro médico ficará ao lado do paciente junto com a equipe de enfermagem, geralmente por cerca de 2 horas.

Mantém-se uma monitorização semelhante à usada durante a anestesia, até que o paciente esteja bem acordado e em condições de seguir para o quarto.

Nesse período inicial ainda existe um risco de sangramento baixo, mas inerente ao procedimento, por isso esse cuidado obrigatório de ficar em observação num local anexo ao centro cirúrgico. É a segurança em primeiro lugar.

 

2. Chegando no quarto

Neste momento, de fato o paciente passa a ficar com a família e acompanhantes.

Após algumas horas, conforme a rotina do cirurgião, pode ser liberada a alimentação do paciente.

No início, pode ocorrer uma sensação de incômodo local pela recente manipulação, que vai aos poucos melhorando com o passar do tempo.

Em relação à alimentação, na maioria dos casos não há restrição sobre a consistência sólida dos alimentos, podendo ser liberados logo no início na dieta (a cirurgia da tireoide não afeta a mastigação, por isso, basta mastigar bem os alimentos!).

Durante a cirurgia, na região operada, a equipe cirúrgica realiza o chamado “descolamento” cirúrgico das estruturas. Isso produz uma pequena quantidade de secreção levemente sanguinolenta por porejamento e exsudação, de forma natural e esperada.

Dependendo do tipo do dreno utilizado, o curativo pode ficar tinto horas após a cirurgia. Se isso acontecer, basta avisar a enfermagem para efetuarem a troca do mesmo.

 

3. Cuidados com a posição

 

Recomenda-se de forma geral que o paciente evite movimentos bruscos, esforço físico e baixar a cabeça.

 

A cabeceira da cama deve ficar sempre mais elevada (pelo menos a 30 graus de inclinação), para evitar inchaço no pescoço. Peça ajuda às auxiliares de enfermagem para que seja mantido o posicionamento correto.

A cabeça do paciente também deve ficar mais na posição neutra, evitando esticar a pele da região operada.

Ao inclinar a cabeça para cima, ocorre uma tendência de esticar a região do pontos, aumentando a tensão local. Por isso o paciente deve evitar esse movimento também.

 

4. Para ir ao banheiro

 

Geralmente, conforme liberação médica, o paciente pode se levantar da cama após ter se alimentado. Nunca sair da cama enquanto ainda estiver em jejum.

O paciente deve sempre primeiro se sentar devagarinho. Ficar sentado por um tempo e, só então, acompanhado e com ajuda, se levantar.Tudo isso para se evitar tonturas.

 

5. Para dormir no primeiro dia

Vamos falar a verdade, nada como dormir em casa, não é mesmo?

Mas a internação hospitalar geralmente é de apenas 1 dia.

Na primeira noite, o paciente costuma ficar um pouco receoso pela posição.

Mas isso não pode se tornar uma neurose. Procure relaxar sempre, desligue suas preocupações, que o sono virá nesse momento.

 

6. Manhã do dia seguinte à cirurgia: hora de aprender a fazer os curativos na prática

 

Na maioria das vezes é o dia da alta hospitalar.

Em cirurgias de maior porte ou quando há uma drenagem maior pode ser necessário uma maior permanência às vezes.

Enquanto o paciente ainda estiver internado no hospital, os curativos serão realizados pela equipe de enfermagem ou mesmo pelo médico. Em geral, este ajuda a fazer um curativo na ocasião da retirada do dreno.

 

É fundamental que os familiares e o próprio paciente observem a realização dos curativos enquanto estiverem no hospital porque são de realização muito simples. Se bem aprendidos, podem ser feitos em casa mesmo, após a alta hospitalar do paciente.

 

A recomendação geral é de não se molhar o curativo nas primeiras 24 horas. A função do curativo é proteger o local operado e mantê-lo limpo e seco.

Portanto, toda vez que o curativo da cirurgia de tireoide estiver sujo com secreção da cirurgia, o mesmo deverá ser trocado.

Após a retirada do dreno, a realização do curativo deve ser feita 1 vez ao dia, ou mais se necessário, para manter a limpeza local.

Existem alguns cirurgiões que usam mais o dreno à vácuo (com um coletor sanfonado) podem fazer uma esparadrapagem e ter outra rotina sobre os curativos.

O material utilizado é variável, pergunte ao seu médico os detalhes para realizar um curativo confortável e eficiente.

Cada equipe cirúrgica pode ter rotinas bem diferentes no manejo dos curativos.

curativo cirurgia de tireoide

 

7. Medicações de uso rotineiro para controle da pressão arterial

 

Alguns fatores influenciam e são fundamentais no período pós-operatório.

Se o paciente é hipertenso (isto é, tem pressão alta) ele deve tomar suas medicações de uso habitual no período logo após a cirurgia. Isso diminui o “porejamento” de sangue arterial e evita inchaço local.

 

8. Começando a se movimentar, mas com cuidado

 

Temos que evitar também o aumento da pressão venosa do pescoço.

 

Para isso, recomenda-se que o paciente evite realizar esforço físico e pegar peso.

 

Também não se deve abaixar para pegar objetos no chão. Ao inclinarmos nosso corpo em direção ao chão, provoca-se a turgidez das veias dos pescoço, e por consequência, um porejamento de sangue venoso, que pode levar a sangramento e inchaço.

 

9. Cuidados específicos com a fala

 

Falar após a cirurgia da tireoide é permitido.

O problema é que alguns pacientes exageram e abusam do uso da voz, o que também é considerado esforço no pescoço e pode levar ao inchaço.

A ocorrência de um pequeno edema é esperado, mas se o paciente ficar na dúvida sobre sua evolução, deve procurar seu cirurgião.

 

Inchaço súbito e associado a falta de ar deve ser prontamente avisado ao médico e o paciente deve imediatamente pedir ajuda.

 

10. Cuidados com a alimentação após a alta

 

 

Pede-se para que o paciente evite alimentos de potencial alergênico, como frutos do mar e carne de porco (a tão famosa “comida reimosa”).

A alimentação deve ser saudável, equilibrada, rica em proteínas e vitaminas, para uma boa cicatrização.

 

Também pedimos que a dieta seja de preferência rica em cálcio, pois ajuda a manter o cálcio em bons níveis no sangue após a cirurgia de tireoide.

 

Nesse período abuse se possível de leite e derivados, como queijo, iogurte, requeijão, coalhada, etc.

Os pacientes com intolerância à lactose devem ter seus cuidados específicos mantidos.

Mantenha também as recomendações da sua dieta caso seja diabético, hipertenso ou tenha níveis altos de colesterol.

 

11. Tenho que retirar os pontos?

 

A retirada de pontos é realizada por alguns cirurgiões, conforme a técnica empregada.

 

Hoje em dia, com a tecnologia dos fios absorvíveis, pode-se realizar uma sutura com técnica intradérmica (escondida embaixo da pele), em que não é necessário a retirada de pontos.

 

O uso de pomadas é variado e controverso. Alguns cirurgiões orientam seu uso. Elas podem auxiliar na remoção da crosta que pode se formar e também em pacientes com tendência a formar queloides.

 

12. Proteção da luz natural e solar

 

A proteção da luz, seja natural solar ou artificial, é um cuidado que pode ter forte repercussão na boa qualidade estética na cicatrização.

 

Nos primeiros dias, a proteção em geral é feita pelo próprio curativo.

A partir do quinto a sétimo dia, pode-se usar tecidos bem leves para proteção da luz direta. Quando a ferida estiver seca e vedada, aí está indicado o uso de bons protetores solares.

Peça orientação ao seu cirurgião ou mesmo ao seu dermatologista.

 

 

cirurgia de tireoide

 

13. Quais sintomas podem ocorrer após a cirurgia de tireoide?

 

Existem alterações que são esperadas aós a tireoidectomia, como incômodo na região cervical.

Pode ocorrer dor leve, por isso o médico prescreve analgésicos para evitá-la e devem ser usados nos primeiros dias, conforme necessidade.

 

Fique atento a sintomas como câimbras e formigamentos nas mãos e lábios dentro das primeiras 48 a 72 horas após a cirurgia .

Isso pode refletir queda do cálcio no corpo e deve ser comunicado ao seu médico assim que possível. A queda transitória dos níveis sanguíneos do cálcio pode ocorrer e é alteração específica da cirurgia de tireoide.

 

O cálcio pode ser prescrito de rotina no pós-operatório, o que pode ajudar a prevenir sintomas em alguns pacientes.

Pode ser necessária a dosagem dos níveis no sangue e aumento da suplementação do cálcio, algumas vezes pode ser feita até pela veia, nos casos mais acentuados e urgentes.

 

14. Como iniciar a reposição hormonal após a cirurgia de tireoide?

 

Mais uma vez, cada cirurgião tem sua rotina.

A reposição, quando indicada (nas tireoidectomias totais), pode ser iniciada no primeiro dia após a cirurgia.

A medicação chama-se levotiroxina. Este é o nome genérico e existem algumas marcas consagradas no mercado.

 

Hoje em dia é muito fácil e simples fazer a reposição hormonal.

 

O hormônio é tomado em jejum todos os dias, pelo menos 30 minutos antes do café da manhã.

Isso porque o comprimido é bem pequeno, e ele deve ser dissolvido sozinho no estômago para que tenha uma excelente absorção.

 

15. Quando retornar ao cirurgião após a alta da cirurgia de tireoide?

 

Se não for preciso retirar os pontos nem ocorrer nenhuma intercorrência, normalmente o paciente é solicitado que retorne ao médico para reavaliação em 7 a 14 dias.

Nessa ocasião é comum já termos em mãos o resultado final do chamado exame “anatomopatológico” ou parafina, que nada mais é que o resultado final da biópsia. Nosso verdadeiro “gabarito”.

Aí dá-se então prosseguimento no tratamento conforme o diagnóstico.

 

16. Recomendações importantes

Todas as dúvidas devem sempre ser esclarecidas com seu cirurgião e equipe.

 

Quando houver alguma intercorrência, seu médico deve ser avisado.

Lembre-se que para as situações de emergência, deve-se procurar diretamente o hospital mais próximo.

Seguindo as recomendações médicas, sua cirurgia e recuperação têm tudo para terem uma boa evolução.

 

Respeite sempre com carinho seu período após a cirurgia de tireoide para uma boa recuperação!

 

Achou o conteúdo útil? Compartilhe saúde com quem pode se beneficiar das informações!

 

Posted on 06/11/2015 in Tireoide

Share the Story

About the Author

Dr. Hugo Luz é médico e cirurgião de cabeça e pescoço pela USP (ingresso em 1998). Atua em Fortaleza-CE desde 2009 e busca focalizar seus esforços em bem-estar e saúde.

Responses (56)

  1. Darlen
    15/11/2017 at 18:07 ·

    Boa noite.

    Apos 15 dias da cirurgia de retirada total da tireoide, posso viajar de avião? Duração 01h de voo.
    Grata.

  2. Dr. Hugo Luz
    20/11/2017 at 23:06 ·

    Boa noite, Darlen!
    O período crítico para a ocorrência de complicações mais graves é nas primeiras 48-72 horas após a cirurgia.
    Nesse período, monitoramos mais de perto e ficamos atentos para a possibilidades de um hematoma ou queda dos níveis de cálcio.
    Por isso, é recomendável que nessa fase o paciente tenha acesso fácil ao cirurgião e equipe responsáveis.
    Assim, costumo rever meus pacientes na semana seguinte à cirurgia com esta finalidade e permito total acesso para tirar dúvidas antes e após o procedimento.
    De modo geral, transcorrendo tudo bem com a cirurgia e recuperação durante esse período, não há problemas maiores de se realizar uma viagem.
    Essa decisão, portanto, deve ser tomada de forma individualizada junto com o seu especialista.
    Abraço grande!

  3. Bianca
    28/11/2017 at 13:04 ·

    Boa tarde, minha mãe operou da tireoide a 5 dias. Hoje a região cervical está amarelada como se tivesse levado uma pancada. Gostaria de saber se é normal?

  4. Dr. Hugo Luz
    05/12/2017 at 09:13 ·

    Olá, Bianca!
    Pela sua descrição, é provável que ela tenha tido uma equimose.
    Isto é, algumas vezes pode ocorrer um extravasamento de sangue na pele e abaixo dela, e ele pode infiltrar uma área de tecido em volta da região da cirurgia da tireoide.
    O sangue aos poucos vai se degradando, assim como em um “roxo” de uma pancada: primeiro surge uma coloração mais vinhosa, que depois vai clareando e ficando esverdeada, alaranjada, amarelada… até desaparecer!
    Isso pode acontecer no pós-operatório de alguns pacientes e geralmente tem regressão espontânea ou com ajuda de géis e massagens locais.
    Mantenha sempre seu médico informado.
    Abraço grande e ótima recuperação a ela!

  5. Vera (required)
    10/12/2017 at 18:46 ·

    Olá Boa Noite Dr Hugo!

    No início deste ano meus níveis de Cálcio aumentaram, bem como do PTH. Recorri à equipe de cabeça e pescoço, que iniciou um ciclo de exames investigatórios (US, Cintilografia, RM, etc) Os níveis de Vit D estavam bem baixos também. Comecei a ter sintomas como dores ósseas, falta de concentração e arritmias.
    Nos exames não foram identificados adenomas das paratireóides
    Passei também pelo endócrino, que solicitou uma série de exames (Densitometria óssea, Cintilografia dos Ossos, RX, bioquímicos, entre outros)
    Fiz uso de dose maciça de Vit D (dose de ataque) e posteriormente manutenção com 10000 unidades/dia.
    O PTH diminuiu mas ficou acima dos limites normais e o Cálcio também.
    Fui reencaminhada para equipe de cabeça e pescoço que optou pela cirurgia, inclusive para tireoidectomia total, haja vista que já havia feito parcial há 15 anos, por múltiplos nódulos do tipo cisto coloide, mas que cresceram e estavam incomodando.
    Estou no 13º dia PO. Foi retirada uma das paratireoides pois as demais não foram localizadas devido à fibrose da primeira cirurgia. A tireoidectomia foi total. Em setembro fiz punção dos nódulos que constataram benignidade.
    Voltei ao médico no último dia 07/11. Retirei os pontos, e peguei os resultados bioquímicos feitos no dia anterior e os anatomos da cirurgia.
    Os níveis de Ca e PTH desceram, mas ficaram no limite superior da normalidade.
    O cirurgião disse que o ideal que o decréscimo fosse maior.
    Para minha surpresa, no material da tireoide foi identificado um tumor com 0,3 cm do tipo Carcinoma papilífero clássico, encapsulado com invasão capsular – com classificação pT1a pNx pMx. O parênquima não neoplásico registrou bócio coloide multinodular e processo inflamatório crônico com reação giganto-celular do tipo corpo estranho.
    O cirurgião me tranquilizou, dizendo que não será necessário tratamento complementar, e somente acompanhamento. Como relatei perda de energia, fadiga no final da tarde, ele prescreveu levo 150mg. Ele havia mantido minha dose de 125 na pós cirurgia para avaliação. Comecei há 2 dias com essa nova dose. Ontem me senti melhor, mas hoje tive de novo uma sensação de embotamento no final da tarde. Creio ser normal, até que se estabilize e se defina a dosagem mais adequada, por isso vim solicitar do Sr. um parecer sobre esses sintomas que venho sentindo.
    Fiquei um pouco abalada pelo fato do anatomo revelar um tumor. Meio apreensiva e com receio de haver algum comprometimento nos linfonodos. No momento da consulta esqueci de perguntar sobre isso, e esta possibilidade está me preocupando.
    É normal esses sintomas no pós de tireoidectomia total?
    Haveria a possibilidade real de um comprometimento de linfonodos com um essa categoria de classificação do tumor?
    Agradeço desde já sua atenção, e espero que compreenda minha ansiedade. Sempre pergunto tudo ao médico, porque também sou profissional da saúde, mas esqueci pois fiquei meio atordoada com a notícia, e nestes dias meu médico está fora.
    Uma abraço!
    Att
    Vera

  6. Dr. Hugo Luz
    11/12/2017 at 22:09 ·

    Boa noite, Vera!
    Só lembrando que o Blog não presta a emitir opiniões a casos específicos.
    Mas dentro de uma pergunta, podemos aproveitar para aumentar o conhecimento de todos e ajudar um pouco no seu entendimento sobre o que pode estar ocorrendo.
    Pelo que compreendi, e para que todos os leitores se situem, sua cirurgia foi motivada por uma suspeita de uma doença das glândulas paratireoides (vizinhas da tireoide, que regulam o cálcio) e não da tireoide.
    Mas como existiam nódulos na tireoide, o cirurgião aproveitou o ensejo para remover o lado da glândula que ficou preservado na sua primeira cirurgia no pescoço 15 anos atrás.
    Para surpresa de todos, foi encontrado um foco de carcinoma papilífero após a biópsia final.
    No meio médico, chamamos isso de “incidentaloma”. Isto é, um achado incidental, porque foi diagnosticado de modo ocasional em decorrência de um outro motivo.
    O tumor também é considerado um MICROCARCINOMA, porque tem menos de 1cm.
    Sobre sua pergunta, a chance de metástases existe, mas ela é muito baixa para tumores com essa classificação.
    Já em relação aos sintomas de falta de vontade, anedonia, fadiga, podem sim estar relacionados com queda dos hormônios e devem melhorar com o ajuste hormonal!
    Pelo que senti, também podem estar relacionados ao estado muito preocupado da sua mente, contribuindo para esse esgotamento.
    Minha sugestão é que você procure se tranquilizar e evitar que esses pensamentos lhe causem perturbação.
    Desejo muita saúde!
    Grande abraço!

  7. Alice Meri
    13/12/2017 at 17:41 ·

    Dr. Hugo Boa Noite

    Dia 27/11 fiz cirurgia de TT devido a Bócio Multinodular atóxico, gostaria de saber se é verdade que alguns alimentos atrapalham a absorção da medicação para reposição hormonal? Tomo Euthrynox de 125 em jejum, ainda sinto um pouco os sintomas da hip, mas, creio ser normal pois meu organismo precisa se adaptar a nova realidade que é a ausencia da tireoide. Obrigada pela ajuda.

  8. Vera
    13/12/2017 at 19:47 ·

    Olá Dr, boa noite!
    Perfeito, isso mesmo!
    Agradeço imensamente seu retorno e palavras.
    De fato, sou muito agitada e ansiosa, e preciso cuidar para que a cabeça não tome a frente das coisas, originando sintomas indesejáveis e outras doenças.
    Desejo também Boas Festas e um 2018 com muita saúde para todos!
    Abraços!
    Vera

  9. Michele Oliveira
    27/12/2017 at 13:42 ·

    Oi boa tarde. Preciso de uma ajuda. Fiz a retirada total da tireoide estou tomando o puran 150 e o resultado da minha biópsia deu carcinoma papelifero variante folicular tomei o iodo fiz cintilografia e disse que estava TD bem. Agora no retorno com a médica, ela me disse que eu devo continuar com a mesma dosagem, mas ela me disse que eu devo fazer o raio x do tórax e o exame de sangue novamente daqui 3 meses, ela me disse que estava tudo bem mas fiquei preocupada, isso é normal ou esse exame é pra constar alguma coisa a mais? Será que pode me ajudar?

  10. Lilian (required)
    08/01/2018 at 21:29 ·

    Boa noite Dr fiz a cirurgia de tireoide no dia 3/01 estou com inchaço acima dos pontos o que fazer

  11. Dr. Hugo Luz
    10/01/2018 at 09:30 ·

    Olá, Alice!
    Primeiramente gostaria de agradecê-la por mandar 2 perguntas excelentes, que provavelmente vão ajudar a tirar essas dúvidas de muitas outras pessoas.
    Em relação à absorção da medicação para a reposição hormonal, a resposta é que TODOS os alimentos atrapalham a sua absorção.
    A levotiroxina (cujos nomes comerciais são Puran T4 ou Syntroid ou Levoid ou Euthyrox) precisa “reinar” todos os dias no estômago de quem removeu a tireoide.
    Mas por que isso?
    Se a pessoa toma a medicação junto com alimentos, o comprimido “embola” junto no estômago com os resíduos, podendo dificultar uma absorção uniforme da medicação.
    Por isso é essencial tomar seu comprimido diariamente em jejum, em geral com um intervalo de cerca de 30 a 60 minutos entre a tomada do comprimido e o café da manhã, conforme a orientação do seu especialista.
    Alguns alimentos à base de farinha de soja, cereais de semente de algodão, nozes e dietas a base de fibras podem diminuir a taxa de absorção da medicação.
    Outro erro extremamente comum das pessoas é o paciente logo acreditar que o remédio não está fazendo efeito e querer trocar de marca ou de tipo de hormônio.
    Cuidado!
    O que ocorre logo após a tireoidectomia é que a primeira dose da medicação é prescrita pelo médico de forma EMPÍRICA.
    Isto significa que a “primeira tacada” do médico pode não atingir a dose exata logo de cara, porque é estimada pelo peso e pode precisar de ajustes.
    Com simples exames de sangue, podemos conferir o efeito da levotiroxina e a dose ideal deverá ser então ajustada e buscada pelo seu médico.
    Sintomas do hipotireoidismo também estão presentes na vida de pessoas normais, como cansaço, queda de cabelos, etc.
    Nem sempre o hipotireoidismo é o responsável por esses sintomas.
    Por isso, é de extrema importância o acompanhamento médico próximo e acessível para que você possa ajustar o mais rápido possível a dosagem da sua medicação e ter uma vida normal.
    Espero ter ajudado!
    Abraço grande!

  12. Dr. Hugo Luz
    10/01/2018 at 10:32 ·

    Olá, Vera!
    Obrigado pelo carinho e resposta.
    Desejo um ano de muita saúde, paz, amor e felicidades para você e família!
    Abraço grande!

  13. Dr. Hugo Luz
    17/01/2018 at 07:03 ·

    Olá, Michele!
    O carcinoma papilífero da tireoide muitas vezes demanda essas 3 etapas de tratamento: a cirurgia, a radioiodoterapia e a supressão hormonal.
    Se após a cintilografia a sua médica disse a você que estava tudo bem, é provável que o motivo dos exames seja acompanhamento rotineiro, o que envolve checar se os marcadores tumorais (tireoglobulina e anticorpo anti-tireoglobulina) caíram após a iodoterapia, e também conferir novamente a dosagem hormonal.
    A radiografia de tórax costuma ser feita no contexto do câncer de tireoide no pré-operatório da cirurgia e ao longo do seguimento, conforme cada especialista julga ser ou não necessário.
    Acredito que, pelo que você expôs na sua pergunta, se fosse algo preocupante ou urgente é muito provável que sua médica pedisse os exames de imediato e não para levar a ela só daqui a 3 meses.
    Minha dica é que você busque uma relação transparente com seu médico, pergunte a ele sempre suas dúvidas e divida suas angústias.
    Muita saúde sempre!

  14. Kelly Negreiros
    18/01/2018 at 21:42 ·

    Pode dormir de lado após 5 dias da cirurgia?
    É normal sentir um “entalo” na garganta.

  15. Dr. Hugo Luz
    19/01/2018 at 15:48 ·

    Oi, Lilian!
    Essa sua queixa de inchaço acima da área de sutura não é rara.
    Na cirurgia da tireoide é preciso fazer um descolamento dos tecidos.
    Isso às vezes pode gerar 2 consequências: uma é o que chamamos de seroma, que nada mais é que o acúmulo de líquido entre os músculos do pescoço e a gordurinha que fica abaixo da pele; a outra é um edema, por acúmulo de líquido entremeado entre a gordurinha e a pele.
    No primeiro caso, o líquido pode ser aspirado com uma seringa no consultório mesmo, de forma bem tranquila, e o inchaço deve regredir de imediato.
    O seroma pode se refazer novamente, mas a tendência é que a produção do líquido pelo organismo vá regredindo e a reabsorção vá aumentando… até que em geral em alguns dias ou semanas, o inchaço regrida por completo.
    No caso do edema, ele se forma pela dificuldade de drenagem linfática do líquido acumulado.
    Com o tempo, a tendência é que a drenagem natural da linfa se reorganize e que o edema também regrida.
    Nesses casos não existe como “aspirar” esse líquido diretamente.
    Após algumas semanas da cirurgia, costumo orientar meus pacientes (quando ocorre esse edema) a fazerem algumas massagens no local, que ensino no consultório.
    Converse com seu especialista para que ele a reveja e oriente qual a medida a ser tomada.
    Abraço grande!

  16. Juliana amorim
    21/01/2018 at 19:41 ·

    Boa noite. Farei a extração total da tiroide esta semana.
    Como o médico me explicou, precisarei tomar remédio diariamente em jejum.
    Minha dúvida é sobre a ingestão desta medicação, pois tomo diariamente em jejum o suco de um limão.
    Devo ingerir o remédio antes ou após do limão?

  17. Dr. Hugo Luz
    23/01/2018 at 17:54 ·

    Olá, Kelly!
    Se a cirurgia foi somente da tireoide, sem esvaziamento cervical lateral, no segundo dia após a cirurgia já costumo liberar meus pacientes para dormir de lado.
    É importante que o pescoço fique mais fletido e nunca esticado para cima.
    Após a cirurgia da tireoide também é muito comum ocorrer essa sensação de “entalo” ou incômodo no pescoço.
    Isso porque podemos manipular alguns músculos que interferem na deglutição.
    Em geral esse desconforto costuma melhorar com pouco tempo.
    Sempre verifique a rotina do seu cirurgião e tire suas dúvidas diretamente com ele.
    Abraços!

  18. Marilene
    24/01/2018 at 04:50 ·

    Dr. Hugo fiz uma cirurgia ta com 12 dias,e abaixo e acima da sutura esta meio roxo e inchado o que fazer e se é preocupante e se posso dormir de lado? Este edema vai sumir com o tempo?

  19. Rita Miranda
    26/01/2018 at 14:43 ·

    Boa Tarde,

    Vou ser submetida a cirurgia TT no proximo mês de Março, gostaria de saber qual o tempo expectável de baixa médica tendo em conta que faço trabalho de escritório (sentada ao computador).

    Obrigada.

  20. Dr. Hugo Luz
    02/02/2018 at 12:49 ·

    Marilene, boa tarde!
    Após uma cirurgia de tireoide, pode ocorrer um arroxeamento e inchaço da pele.
    Pode ser uma equimose, que seria uma infiltração dos tecidos superficiais por sangue.
    Por outro lado, pode também significar um hematoma, com sangue mais profundo, que pode estar em formação ou mesmo em regressão.
    Sugiro que você entre em contato com o cirurgião que a operou, para que ele possa avaliar a região operada e orientá-la sobre o que é melhor fazer.
    Abraços!

  21. Dr. Hugo Luz
    05/02/2018 at 23:00 ·

    Olá, Rita!
    Obrigado por sua pergunta, bastante pertinente e muita gente deve ter a mesma dúvida.
    O retorno ao trabalho depende principalmente de 3 fatores:
    – do tipo de cirurgia e sua extensão;
    – se o procedimento for tranquilo ou se existem possíveis sequelas temporárias ou definitivas;
    – qual o trabalho da pessoa.
    Em cirurgias tranquilas, com bom panorama no pós-operatório imediato e para trabalhos leves (como o de escritório), geralmente libero o retorno às atividades em 15 dias.
    Já em cirurgia maiores como as com esvaziamento cervical, e para pessoas com trabalhos mais pesados (por, exemplos, agricultores), o período de afastamento pode se estender até 60 dias, ou conforme a recuperação.
    Abraços!

  22. Dr. Hugo Luz
    14/02/2018 at 18:46 ·

    Olá, Juliana!
    Para os meus pacientes, oriento a tomada do hormônio da tireoide em jejum, antes de tudo, porque outros alimentos ou líquidos podem interferir na absorção adequada da levotiroxina.
    Após o pequenino comprimido se dissolver e ser absorvido no seu trato digestivo, aí sim você poderia se alimentar ou tomar seu suco de limão.
    O tempo recomendado para se alimentar após a tomada da medicação varia de 30 a 60 minutos.
    Geralmente costumo orientar sobre todas as medicações do período pós-operatório na ocasião da alta hospitalar.
    Aproveito o momento para tirar todas as dúvidas dos meus pacientes.
    Converse e siga as orientações do seu médico!
    Abraços!

  23. Ana
    20/02/2018 at 05:22 ·

    Fiz uma cirugia am setembro parcial mais não me sinto muito muito bem é tal de sono sem fim quanto mais dor no tenho mais sono .nossa se eu pudesse passaria o dia dormindo .quais alimentação que devo em gire depois do medicamento .as cesex como na hora correta as vezes não .queria um um alimentação mais leve e prática .

  24. Ana
    20/02/2018 at 05:28 ·

    Fiz segundo exame das taxas detetam hormônio tireocestimulante tds 5.36 e o outro foitiroxina livre t4 1.12 sou adulta é normal

  25. Ana
    20/02/2018 at 05:30 ·

    Minha biopicia foi benigna graças a Deus mais fiz parcial

  26. Murilo Mello
    24/02/2018 at 07:43 ·

    Olá Dr. Hugo, bom dia.
    Hoje faz 5 dias que fiz a retirada total da tireoide com esvaziamento cervical. Após 2-3horas de operado, me sentia muito bem, mas de repente começou um inchaço gigante na região operada e fui levado as pressas para o centro cirúrgico para reoperar (tratava-se de um grande hematoma), pois uma artéria se rompeu. Fiquei 4 dias internado e hoje já estou em casa.
    O caso é que estou me sentindo como se estivesse com uma “bola”, um inchaço, na região operada e quando vou deglutir, aparentemente o músculo cansa/incha, causando desde um desconforto até falta de ar… Isso passa?

  27. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 18:01 ·

    Olá, Ana!
    Tão importante quanto a cirurgia são os cuidados após o procedimento.
    Na cirurgia parcial, em cerca de 50% dos casos é preciso fazer alguma reposição hormonal.
    E as taxas hormonais devem ser perfeitamente reguladas através das dosagens dos hormônios no sangue.
    Quando indicada, a tomada da medicação em jejum, pelo menos 30 minutos antes do café da manhã, e com intervalo de tempo adequado de outras medicações que podem afetar na absorção do hormônio da tireoide são fundamentais.
    Se está se sentindo sonolenta, sugiro que retorne ao seu médico especialista para verificar a possibilidade de necessitar de um ajuste na tomada da medicação.
    Muita saúde!

  28. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 18:05 ·

    Olá, Ana!
    Sobre as taxas hormonais, os valores normais de referência podem variar de laboratório para laboratório, de acordo com o método empregado.
    E também é preciso saber que temos uma faixa de variação normal e não um valor normal.
    Por isso, levo em conta, na mesma medida dos exames laboratoriais, as queixas e sintomas dos meus pacientes, para tomar uma decisão mais acertada de fazer um ajuste da medicação.
    Tire sempre as dúvidas com seu médico de confiança e se tiver dúvidas, sugiro que possa pedir uma segunda opinião.
    Muita saúde!

  29. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 21:40 ·

    Boa noite, Ana!
    Que maravilha, fico muito feliz pelo resultado!
    Isso reforça a estatística de que a maioria dos nódulos de tireoide são benignos.
    E a minoria dos pacientes que tem como resultado um tumor maligno, com o tratamento adequado também tem alta taxa de cura.
    Muita saúde!

  30. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 23:50 ·

    Oi, Murilo!
    Esse seu relato do inchaço súbito ocorrido poucas horas após a cirurgia é muito importante.
    Todas as pessoas que passarão por uma cirurgia de tireoide devem saber que a ocorrência de um hematoma é um evento possível no período pós-operatório.
    E principalmente saber o que fazer numa eventual situação semelhante.
    Um hematoma é uma situação perigosa e deve ser esvaziado imediatamente, às vezes até à beira do leito.
    Fico muito feliz que você tenha sido prontamente socorrido e que tenha dado tudo certo!
    Seguindo as explicações, é comum o paciente sentir um incômodo maior na região após uma reoperação, devido à própria manipulação cirúrgica local.
    Fundamental é o acompanhamento próximo do seu médico sobre sua evolução e recuperação.
    Os sintomas de incômodo local costumam passar com o tempo.
    Mas se estiver sentindo falta de ar, é fundamental comunicar isso ao seu médico ou mesmo procurar o hospital para ser reavaliado.
    Prefiro agir muito mais com um cuidado maior e mais zelo do que correr o risco de deixar passar desapercebido alguma situação com potencial de complicação.
    Abraço grande e muita saúde!

  31. Iara
    07/03/2018 at 11:43 ·

    Olá bom dia, fiz a cirurgia a 10 dias E estou com uma elevação sobre a cirurgia bem no meio do pescoço de aspecto duro e dolorida. E normal ficar assim? Me ajude estou preocupada.

  32. Flavia Garcia
    08/03/2018 at 10:22 ·

    Bom dia, Dr. Hugo! Fiz a retirada total da tireoide no dia 23/02. Hoje tem 14 dias e sinto muita dor de cabeça quando faço esforço mínimo. Sou professora da educaçao infantil, crianças pequenas. Retorno ao trabalho com 15 dias. Essa dor pode estar relacionada a cirurgia?

  33. Dr. Hugo Luz
    20/03/2018 at 18:45 ·

    Boa tarde, Iara!
    Eventualmente após a cirurgia da tireoide pode ocorrer um pequeno hematoma ou um seroma, respectivamente, por acúmulo de sangue ou de líquido produzido na região operada. São os diagnósticos mais frequentes compatíveis com o quadro que você descreve.
    Geralmente o hematoma e o seroma regridem com o passar dos dias.
    Ideal que você comunique o seu médico sobre esta elevação e ele deverá orientá-la sobre o melhor a fazer.
    Hematomas podem ter sua resolução acelerada por leves massagens locais ou aplicação de um gel específico. Mas isso apenas seu médico poderá recomendar.
    Já no caso de um seroma, o líquido costuma ser mais fluido e fino, podendo ser aspirado de forma indolor no próprio consultório médico rapidamente, caso seu médico identifique que possa ser o caso.
    Reforçando, o diagnóstico e o tratamento devem ser feitos pelo médico presencialmente.
    Boa recuperação e muita saúde, Iara!

  34. Alexandra
    23/03/2018 at 08:13 ·

    Olá Bom Dia!! Fiz a cirurgia de tireoidectomia total a 3 dias mais estou com muita dificuldade para engolir, é estou salivando muito ao engolir a saliva parece que tem um bolo dificultando engolir. E sinto uma dor de desconforto entre o peito não sei se é normal .

  35. Dr. Hugo Luz
    26/03/2018 at 15:38 ·

    Olá, Flávia!
    Não é comum o paciente sentir dores de cabeça nessa fase do pós-operatório.
    Geralmente nos primeiros 2 a 3 dias de pós-operatório da cirurgia da tireoide, o paciente pode ter uma leve dor de cabeça, por vários fatores: mudança da rotina, anestesia, tensão pré-cirurgia, sono mal dormido na véspera.
    Mas esse tipo de dor de cabeça geralmente melhora espontaneamente em pouco tempo.
    E, mesmo assim, sua existência deve ser sempre comunicada ao médico.
    Sugiro que você avise seu médico ou consulte um neurologista.
    Abraço grande e muita saúde!

  36. Rose Rocha
    28/03/2018 at 12:41 ·

    Dr Hugo tudo bem?
    Minha filha está para fazer a cirurgia da tireoide , o caso dela deu câncer e esta com 1cm e 4mm,segundo o medico é o mais tranquilo. Minha pergunta é , essa cirurgia corre o risco de perder muito sangue a ponto de precisar da transfusão de sangue? Se sim, existe uma preparação que pode ser feita com alimentação para que não precise ? Ou alguma outra sugestão por favor? Obrigada .

  37. Name Gustavo Carvalho da Silva
    30/03/2018 at 08:55 ·

    Dr. Hugo Luz – Saúde e Paz!

    Sou portador de hipotireoidismo e o exame de tomografia computadorizada apresentou módulo mergulhante do lado direito. Fui a dois cirurgiões . O primeiro, diz que é preciso retirada total da tireóide. O segundo, diz que a cirurgia pode ser retirada parcial( só o bócio mergulhante). Estou em dúvida o que fazer? No caso de bócio mergulhante qual é o procedimento usualmente mais utilizado?

  38. Rosimar
    19/04/2018 at 05:29 ·

    Bom dia. Seu site é muito esclarecedor. Farei a cirurgia de tireóide amanhã com esvaziamento de cervical. Tenho 4 tumores heterogêneos e hemorragicos, Com comprometimento de linfonodos. Minha mãe teve câncer papilifero de tireóide ha 7 anos. Estou muito preocupada. Ja se sabe que são malignos. Trabalho em um presídio. A rotina é pesada. O médico quer me dar 15 dias de atestado, mas acho pouco. Ainda mais agora lendo sua matéria. Estou com tireoide mergulhante. O médico disse que são 4 tipos de câncer de tireoide. Como é a investigação pós cirúrgica? Tenho medo de ser mal feita. Obrigada

  39. ana gomes
    25/04/2018 at 15:34 ·

    Fiz remoção de tiróide e múltiplos nódulos, inchei bastante , fiquei negra e bastante pisada, não me meteram dreno e colocaram cola biológica. A minha costura sangrou e acabou por abrir, tenho um inchaço na costura e já fiz mês e meio passados e o inchaço continua. Isto é normal???

  40. Glaucia (required)
    28/04/2018 at 10:15 ·

    Bom dia vo fazer uma cirurgia para retira o paratireoide que ta com adenoma gostaria de saber quanto tempo de recuperaçao tenho 1 criança de 3 anos e quando posso voltar ao trabalho so tecnica de enfermagem obrigada

  41. Dr. Hugo Luz
    01/05/2018 at 18:19 ·

    Olá, Alexandra!
    É normal sentir um certo incômodo na região operada após a cirurgia da tireoide
    Isso pode ocorrer inclusive para engolir, mas, de modo geral, esse desconforto é leve e passageiro, e não impede de forma alguma a pessoa de se alimentar.
    Em tumores de tireoide mais volumosos ou invasivos, que invadem ou deslocam estruturas relacionadas à deglutição (ato de engolir), esse desconforto pode ser maior após a cirurgia da tireoide.
    Se a dificuldade para engolir for intensa ou persistente, o correto é avisar e ser reavaliada pelo seu cirurgião.
    Tirar a dúvida com o médico que a operou costuma ser o melhor caminho.
    Abraço grande e muita saúde!

  42. Dr. Hugo Luz
    01/05/2018 at 22:50 ·

    Olá, Rose!
    Na minha experiência, nunca precisei transfundir um paciente por conta de uma cirurgia de tireoide.
    Este risco tende a zero.
    Devem existir casos anedóticos que possam ter necessitado de transfusão, mas definitivamente não é uma preocupação que tenho no preparo dos meus pacientes para a cirurgia.
    Abraço grande!

  43. Dr. Hugo Luz
    01/05/2018 at 23:06 ·

    Olá, Gustavo!
    Sua pergunta é totalmente pertinente e pode ajudar muita gente a entender como ocorre a tomada de decisão em relação à extensão da cirurgia: tireoidectomia total versus tireoidectomia parcial.
    O primeiro ponto é que você informou já ter hipotireoidismo.
    Nesse caso, pelo fato de já tomar hormônio da tireoide, a retirada parcial da glândula não evitaria a chance de você tomar a medicação, já que você já faz uso dela.
    Ao contrário do seu caso, nas pessoas que não têm hipotireoidismo, a preservação de um lado da tireoide poderia evitar em até metade dos casos a necessidade delas tomarem hormônio tireóideo.
    Nesses casos, a tireoidectomia parcial teria essa grande vantagem em potencial.
    Outro aspecto importante é que provavelmente toda sua glândula seja doente.
    Se a pessoa tem tireoidite, os anticorpos que o corpo produz atingirão todo o tecido tireóideo.
    A vantagem da remoção de toda a glândula seria evitar uma recidiva futura, isto é, o aumento da glândula remanescente ou a formação futura de nódulos no lado que não tem o bócio mergulhante.
    Por outro lado, quando mexemos em apenas um lado, o riscos cirúrgicos diminuem: o de rouquidão cai pela metade (apenas 1 lado é manipulado); e o risco de tomar cálcio após a cirurgia cai a quase zero.
    Mais um ponto importante a ser exposto é que se algum foco de câncer porventura seja encontrado dentro do bócio mergulhante, uma nova cirurgia poderia ser necessária para remover o outro lado, caso não seja feita a tireoidectomia total de princípio.
    Na minha opinião, todos esses fatores prós e contras uma remoção total ou parcial da tireoide devem ser levantados ao longo das consultas e a decisão deve ser tomada em conjunto com o especialista e com tranquilidade!
    Espero ter ajudado!
    Abraço grande!

  44. Jefferson
    15/05/2018 at 00:17 ·

    Dr. Hugo Luz primeiramente parabéns pelo conteúdo.
    Estou na fase dos exames para realizar a tireoidectomia total, pois encontrei um carcinoma papilífero de 0,9cm.
    Estou muito apreensivo e não perguntei ao meu médico, pois esqueci.
    Eu tenho uma especie de tique nervoso, que é ficar movimentando a garganta, como se fosse engolindo… Tá mais para estralar o pomo de Adão.
    Gostaria de saber se isso pode atrapalhar minha cirurgia, e se devo procurar algum psiquiatra para tentar tratar esse problema antes da cirurgia, para evitar complicações.

    obrigado.

  45. Dr. Hugo Luz
    15/05/2018 at 23:08 ·

    Boa noite, Rosimar!
    O carcinoma papilífero de tireoide é o mais comum dos tumores da glândula. Mas existem outros tipos menos frequentes também.
    Desde que bem realizada a cirurgia e que o tumor não comprometa estruturas vizinhas importantes, as chances de cura são altas.
    Após a cirurgia, todo o material removido é enviado para uma análise completa e, assim, pode-se verificar o subtipo do tumor.
    Se na biópsia final forem observados linfonodos comprometidos pela doença, é bem provável que seja indicado o tratamento com radioiodoterapia.
    Nesse momento, costumamos realizar um exame de pesquisa de corpo inteiro, para avaliar de modo mais global sobre a saúde da pessoa em relação ao câncer.
    Abraço grande e muita saúde!

  46. Dr. Hugo Luz
    03/06/2018 at 18:18 ·

    Olá, Ana!
    Obrigado por sua participação!
    O ajuste hormonal é feito após a cirurgia quando removemos a tireoide.
    No dia seguinte após a cirurgia já podemos iniciar uma dose empírica do hormônio, baseada no peso e altura do paciente.
    Na maioria das vezes a estimativa é correta ou muito próxima da dose ideal.
    Porém, alguns pacientes podem ter uma capacidade menor de absorver a reposição hormonal, e nesses casos o ajuste pode requerer mais um pouco de tempo.
    Já sobre a colocação do dreno, cada cirurgião tem sua rotina.
    Costumo colocar dreno em todas as minhas cirurgias de tireoide atualmente.
    Meu racional é que utilizo um pequeno dreno chamado Penrose na maioria das tireoidectomias.
    Com ele, mesmo quando em pequena quantidade, o líquido produzido na cirurgia é eliminado pelo dreno, que é inócuo, evitando acúmulo de sangue ou seroma.
    Quando o descolamento cirúrgico é maior, ou a tireoide tem maior volume, ou quando realizo o esvaziamento cervical na mesma cirurgia, opto geralmente por usar um dreno à vácuo.
    Já sobre a cola biológica, também é outra opção para ser usada após a cirurgia. Geralmente prefiro uma sutura intradérmica feita de forma minuciosa, já que prefiro o uso do dreno.
    A deiscência, ou soltura da “costura” é um evento raríssimo, e sua ocorrência deve ser comunicada de imediato ao seu cirurgião.
    Se restou ainda um hematoma residual ou edema do tecido ao redor da incisão cirúrgica, sua resolução pode levar um tempo também mais prolongado.
    Idealmente o cirurgião deve acompanhar mais de perto a recuperação dos pacientes nesses casos, para obter uma melhor e mais rápida recuperação.
    Espero que se recupere logo!
    Abraço grande!

  47. Dr. Hugo Luz
    03/06/2018 at 19:28 ·

    Olá, Gláucia!
    Geralmente a recuperação da cirurgia de um adenoma de paratireoide costuma ser um pouco mais rápida que a da cirurgia da tireoide. A retomada das atividades ocorre por volta de 15 e 30 dias após o procedimento, dependendo da recuperação do paciente e da função e tipo de trabalho que a pessoa exerce (com ou sem uso de força física).
    Abraço grande!

  48. Dr. Hugo Luz
    05/06/2018 at 22:14 ·

    Olá, Jefferson!
    Obrigado pela sua pergunta aqui no Blog.
    Ela ilustra bem a individualização que procuramos fazer caso a caso na cirurgia da tireoide e a importância de um pré-operatório bem feito.
    A região que você manipula, do pomo de Adão, é vizinha à tireoide, ou seja, área que deverá ser mexida na cirurgia.
    Por isso, no período inicial do pós-operatório, sua manipulação excessiva não é aconselhável.
    Se esse seu “tique” o causa sofrimento de alguma forma ou incômodo, acho que a avaliação de um psiquiatra seria muito apropriada, no sentido não só de buscar um maior controle dos movimentos, mas principalmente de ajudar a cuidar da sua saúde global.
    Fique com Deus!
    Muita saúde!

  49. Lisa Gonçalves
    10/06/2018 at 20:38 ·

    Dr.Boa noite. Segundo dia da tireoidectomia total. Estou em casa com dreno e tomando de 8/8 h Os Cal por 10 dias e proferid 1 c por 5 dias. Queria saber porque não estou ainda respondo o hormônio? Eu agora sinto bem pouco formigamento nas pontas dos dedos e face bem pouquinho, mas o que me incomoda é a tontura e tremedeira. Pq? Fico no aguardo, grata!

  50. Vinicius
    19/06/2018 at 08:51 ·

    Bom dia, após quantos dias da operação, devemos fazer a retirada dos pontos?

  51. Bianca Rafael3
    28/06/2018 at 20:07 ·

    Oi boa noite é normal depois da cirurgia com mais de 8 dias após a cirurgia.. a pessoa fica cansando ? Pq minha mãe a dela já tava um pouco avançada e afetou a voz dela, deixando ela rouca.. só que ela fica cansando .. é normal ?

  52. Dr. Hugo Luz
    25/07/2018 at 11:52 ·

    Olá, Lisa!
    Cada cirurgião tem sua rotina, mas faço de modo diferente.
    Prefiro retirar o dreno antes da alta e fazer a reposição imediata dos hormônios.
    Se ainda tem formigamentos nos dedos e na face, é possível que a dose do cálcio esteja insuficiente.
    O médico pode aumentar a dosagem ou associar o calcitriol, que melhora a absorção do cálcio.
    O ideal é que você comunique essa alterações ao seu cirurgião e pergunte a ele quais os motivos dele fazer desta forma.
    Assim você entenderá o porquê das escolhas dele e mais sobre o seu tratamento.
    O pós-operatório é dinâmico, e conforme a evolução de cada paciente, vamos manejando as medicações.
    Boa recuperação!

  53. Dr. Hugo Luz
    20/08/2018 at 16:11 ·

    Olá, Vinícius!
    Hoje em dia não utilizo pontos externos que necessitem ser retirados.
    Usamos fios cirúrgicos muito delicados e absorvíveis que se degradam com o tempo.
    A maioria dos cirurgiões que utilizam ainda essa técnica de pontos externos costumam removê-los entre 7 e 15 dias após a cirurgia da tireoide.
    Abraço grande e muita saúde!

  54. Dr. Hugo Luz
    10/09/2018 at 21:33 ·

    Boa noite, Bianca!
    Não é normal que a pessoa fique sentindo sensação de cansaço após a cirurgia da tireoide.
    O ideal é que ela informe o médico dela sobre esse sintoma para que se faça um diagnóstico sobre o que pode estar ocorrendo e levando ela a sentir esse tipo de sintoma.
    Melhoras para ela.
    Abraço grande!

  55. Arilene Luiza
    20/03/2019 at 15:47 ·

    Boa tarde! Tem 7 meses que fiz a tireoidectomia total devido ao carcinoma papilifero, desde então tenho tomado a levotiroxina de 125mg , sinto muito cansaço, irritabilidade, falta de disposição e animo para estudo, e por fim essa semana comecei a sentir um desconforto na região do pescoço e dor na nuca, devo me preocupar ou não?

  56. Dr. Hugo Luz
    24/04/2019 at 10:09 ·

    Olá, Arilene!
    Os sintomas de cansaço, irritabilidade, falta de disposição e ânimo podem ter relação com o ajuste da dose da sua medicação.
    Como também podem ter outras causas.
    Geralmente dores na região da nuca e do pescoço costumam refletir tensão, ansiedade. É muito raro esse tipo de sintoma ter relação com a doença da tireoide.
    Minha sugestão é que você procure retornar ao seu médico e relatar a ele essas suas queixas, para que possa ficar bem!
    Abraço grande e muita saúde!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top