Cirurgia da Tireoide: 17 Passos Fundamentais para Você Vencer [Roteiro Prático]

cirurgia tireoide

Você está preparado para a cirurgia da tireoide?

 

Se ainda tem dúvidas, este post  foi feito especialmente para esclarecê-las. Ele vai fornecer a você as principais informações sobre cirurgia da tireoide. Saiba exatamente o que todo paciente deve descobrir antes de se submeter ao procedimento.

 

Ao longo deste artigo, você aprenderá a resposta para 17 perguntas fundamentais:

 

  1. Sabia que a cirurgia da tireoide já foi até proibida?
  2. Anestesia geral é segura?
  3. A incisão (corte) da cirurgia é grande?
  4. A cirurgia da tireoide demora quanto tempo?
  5. A cirurgia da tireoide pode alterar a voz?
  6. Terei que tomar cálcio após a cirurgia da tireoide?
  7. Como é a cicatriz em uma cirurgia da tireoide?
  8. O que devo fazer no período próximo que antecede a cirurgia da tireoide?
  9. Como é o centro cirúrgico?
  10. Como é o preparo para a anestesia em uma cirurgia da tireoide?
  11. Acabou a cirurgia, para onde vou a seguir?
  12. Como ficará o pescoço após a tireoidectomia?
  13. Quais as recomendações para o paciente imediatamente após a cirurgia da tireoide?
  14. Posso falar após a cirurgia da tireoide?
  15. Como fica a alimentação após a tireoidectomia?
  16. Como funciona a alta hospitalar?
  17. Quais as principais medicações usadas após a alta da cirurgia da tireoide?
  18. Recomendação extra.

 

Vamos responder as perguntas, mas antes vou começar contando a você uma história pessoal.  

E nada melhor para o médico sentir e entender como é estar na situação de um paciente do que ele mesmo passar por uma situação médica.

Acreditem ou não, médico também é gente!

A rápida história vem da minha infância: eu tinha por volta de 10 anos de idade quando sofri um acidente relativamente sério.

Tudo começou que eu estava descontraidamente balançando numa rede e o pilar que a sustentava simplesmente desabou.

Não era para isso acontecer.

O concreto pesado caiu exatamente no meio da minha coxa esquerda.

Mas graças a Deus o bloco atingiu apenas esse ponto.

Após os adultos removerem os escombros, logo percebi que não conseguiria me levantar porque havia algo de errado.

Sem ninguém dizer, eu mesmo logo percebi que tinha fraturado o fêmur no meio.

E para piorar a história, meus pais estavam viajando. Levariam muitas horas ainda para retornarem de Goiás.

Sempre tive uma personalidade serena desde pequeno, e não dei trabalho aos meus tios, que me levaram logo para o hospital.

Lembro-me vividamente da experiência.

 

E foi no meio daquela situação que misturava dor e incerteza que a figura iluminada do médico surgiu.

 

Felizmente as coisas começaram a mudar!

A situação que poderia ser ainda mais traumática não foi, graças à tranquilidade do médico ortopedista que me atendeu.

Dr. Robson, um ser humano incrível, com uma clareza impressionante, explicou para aquela criança que era eu, numa folha de papel, como ele faria para “consertar” minha perna.

Eu estava então apenas na companhia dos meus avós e tios, mas quando entendi suas palavras sobre a cirurgia, acreditem, autorizei prontamente que ele me operasse!

Mas não era tão simples assim: como eu era então uma criança e não se tratava de uma emergência, esperamos meus pais chegarem para que a cirurgia fosse então realizada.

Como era de se esperar, tanto a cirurgia quanto a recuperação foram espetaculares!

Saúde é tudo.

 

Recentemente uma paciente bem ansiosa me fez lembrar dessa história e pensei: como então ajudar as pessoas que passarão por uma cirurgia de tireoide a encará-la com mais leveza desde o início?

 

 

 

cirurgia tireoide sucesso

 

 

 

 

Foi pensando nessa experiência que vivi e no esclarecimento individualizado do consultório que fazemos de rotina que resolvi trazer essas informações para o primeiro lugar onde as pessoas tem se informado hoje em dia: a Internet!

 

A intenção é buscar ajudar a todos os pacientes a passarem por suas cirurgias com a maior descontração possível.

 

Levar a clareza das informações para a cirurgia da tireoide.

 

Além dos posts, dediquei bastante tempo para produzir com carinho um e-book para servir como guia para pacientes e familiares.

 

>> Você pode baixar se quiser gratuitamente o guia para a Cirurgia da Tireoide, basta clicar aqui. <<

 

Nele existem informações muito importantes. Desde as indicações da cirurgia da tireoide até a recuperação.

Vamos, então, desvendar um pouco sobre a cirurgia da tireoide?

 

1. Sabia que a cirurgia da tireoide (ou tireoidectomia) já foi até proibida?

 

Já imaginou como era uma cirurgia da tireoide há 100 anos atrás?

Há algumas dezenas de anos, a cirurgia da tireoide chegou a ser até proibida tamanho eram os riscos.

Felizmente muita evolução ocorreu desde a primeira cirurgia da tireoide realizada até hoje.

Nas primeiras tentativas de remoção cirúrgica da tireoide, não existiam pinças cirúrgicas nem mesmo cuidados com assepsia.

Mas uma grande revolução aconteceu, graças ao empenho incrível de um suíço chamado Theodor Kocher.

Na região dos Alpes onde ele vivia naquela época existia uma carência grande do iodo na alimentação da população, o que propiciava o aparecimento de tireoides extremamente aumentadas em muitas pessoas, o chamado bócio.

 

Pelos seus incríveis trabalhos, Kocher ganhou o prêmio Nobel de Medicina em 1909. E a cirurgia da tireoide passou a ser efetivamente realizada com mais segurança.

 

cirurgia tireoide

Emil Theodor Kocher, expoente da cirurgia de tireoide

 

Desde então, ao longo de décadas, o conhecimento médico e as tecnologias se desenvolveram exponencialmente.

A anestesia deu passos largos.

Os materiais surgiram e medicamentos, principalmente os hormônios, passaram a ser sintetizados pela indústria farmacêutica.

O treinamento especializado cresceu e a tireoidectomia atualmente é um procedimento cada vez mais seguro nas mãos de especialistas.

Explicarei mais a frente cada passo da cirurgia, e qual a importância e repercussão para o paciente.

 

Mas antes de mais nada, começaremos com um passo que gera muita curiosidade: a anestesia.

 

2. Anestesia geral é segura?

 

A cirurgia da tireoide é realizada habitualmente sob anestesia geral.

Muitas pessoas ainda têm medo dela. Em grande parte por perderem o controle da situação, mas também por histórias mais antigas de complicações.

Vamos entender melhor.

Neste tipo de anestesia, o paciente simplesmente dorme durante o procedimento e acorda ao término do mesmo. É uma situação que pode causar certa tensão em algumas pessoas, aquelas que são mais controladoras.

Mas a verdade é que, desde que você esteja com um bom anestesista e em um hospital bem equipado, dormir durante a cirurgia é uma dádiva.

Se apenas segurar o pescoço com as mãos pode levar um desconforto em uma pessoa, imagine como seria extremamente desagradável manipular estruturas profundas em alguém acordado.

Portanto, a anestesia geral proporciona sim ao paciente extremo conforto.

A tranquilidade vem com o sono, abolindo as preocupações.

Mas e o coração e pulmões?

São acompanhados em cada batida e em cada respiração. Os parâmetros vitais do paciente são monitorizados pelo médico anestesista.

Aí se agrega a segurança necessária e fundamental.

Os métodos de monitorização e alarmes dos aparelhos de anestesia nos trouxeram maiores garantias de segurança.

Mas acima de tudo é preciso um anestesiologista atento e cuidadoso, que esteja concentrado no paciente.

 

O médico anestesista de excelente formação humana e técnica na equipe cirúrgica é essencial.

 

Ele cuidará então da parte clínica do paciente, monitorização, segurança e abolição da dor durante toda a cirurgia.

Aproveite as sensações boas da anestesia.

 

 

 cirurgia tireoide anestesia

 

Está gostando das informações?

 

>> Então aproveite e baixe seu e-book e tenha seu guia sempre em mãos. <<

 

Vamos à cirurgia propriamente dita?

 

3. A incisão (corte) da cirurgia da tireoide é grande?

 

Uma dúvida frequente é sobre o tamanho da incisão cirúrgica e sua posição.

A localização é, em geral, entre a cartilagem da laringe (gogó ou pomo-de-adão) e o comecinho do osso do tórax (manúbrio esternal).

O sentido da incisão é horizontal.

Para decidir o local exato, o cirurgião avalia o pescoço do paciente.

Tento utilizar sempre que possível uma prega (“dobrinha”) natural da pele para disfarçar ao máximo a cicatriz cirúrgica.

O tamanho da incisão é variável, dependendo principalmente do biotipo do paciente, do tamanho do nódulo, e da posição da tireoide.

Tireoides e nódulos de maiores volumes demandam maiores incisões. É quase uma relação diretamente proporcional.

Paciente mais obesos também precisam ser submetidos a incisões maiores, por conta da maior distância da pele até a glândula (ela fica mais profunda).

 

Geralmente procuramos usar a MENOR incisão possível que permita uma cirurgia com segurança.

 

A estética é importantíssima sim, mas as funções vitais sobrepõem-se na hierarquia de prioridades.

A equipe cirúrgica então acessa a tireoide.

 

 

4. A cirurgia da tireoide demora quanto tempo?

 

É fundamental que a família saiba a estimativa de duração da cirurgia da tireoide para se programar enquanto espera o término do procedimento.

 

A duração de uma cirurgia de tireoide com remoção total varia em média de 1 a 2 horas. Nas cirurgias da tireoide parciais (remoção de apenas um lado da glândula), espera-se uma duração um pouco mais curta. Por outro lado, nas glândulas volumosas e nas cirurgias com esvaziamento cervical, aumenta-se a duração do procedimento.

 

Mas o que é esvaziamento cervical?

O esvaziamento ou linfadenectomia cervical é a remoção em bloco de linfonodos (ou gânglios linfáticos) comprometidos por doença ou suspeitos.

Nesses casos a duração da cirurgia da tireoide pode aumentar significativamente em minutos ou mesmo horas.

 

Pergunte sempre ao seu cirurgião de cabeça e pescoço qual a previsão estimada de duração do procedimento. Lembre-se sempre que ele fornecerá apenas uma estimativa, que poderá variar frente aos achados durante a cirurgia.

 

Vale ressaltar que se acrescenta a esse tempo cirúrgico o preparo pré-anestesia, a indução (tempo até a pessoa dormir) anestésica e o despertar da cirurgia. Fatores esses que podem somar alguns minutos a mais no tempo total.

Para os familiares que aguardam na sala de espera ou no quarto, o tempo parece, portanto, maior.

Desta forma, contabilizem esses acréscimos relacionados à admissão na sala de cirurgia e na anestesia, para evitar ansiedade excessiva e desnecessária.

A família também deve ficar tranquila e manter bons pensamentos. É de praxe o cirurgião contactá-los ao término da cirurgia.

 

5. A cirurgia da tireoide pode alterar a voz? 

 

Vamos aos conhecimentos anatômicos.

Essa região do pescoço é muito delicada e estreita: temos 2 nervos principais que passam ao lado da tireoide e que comandam a movimentação das pregas vocais.

E as pregas vocais por sua vez controlam a voz. São os chamados nervos laríngeos recorrentes (ou inferiores). 

Mas a complexidade não para por aí. Temos também mais um par de nervos, também importantes, que atuam na qualidade da voz (tons agudos): os laríngeos superiores.

 

Durante o procedimento, um dos passos essenciais é a identificação, dissecção e preservação dos nervos laríngeos, que inervam as pregas vocais.

 

Existe um modo do paciente diminuir seus riscos de rouquidão?

 

Apesar de existir um risco natural de rouquidão no pós-operatório, mesmo com todos os cuidados, esta possibilidade é muito baixa quando o procedimento é realizado por cirurgiões de cabeça e pescoço.

 

Por isso a importância dessa informação.

 

equipe cirúrgica toda deve ser bem habituada com a cirurgia da tireoide e sua anatomia, para se minimizar os riscos.

 

Você sabe se sua equipe cirúrgica completa é composta por cirurgiões de cabeça e pescoço?

 

A rouquidão pode ocorrer em alguns casos mesmo com a preservação dos nervos, em porcentagem baixa.

Isso pode ocorrer em pessoas com nervos mais sensíveis, devido à manipulação cirúrgica necessária no intra-operatório.

Algumas pessoas têm nervos mais delicados e podem cursar com rouquidão mesmo com todo cuidado e técnica adequados.

Felizmente, nos poucos casos quando ocorre, a rouquidão costuma ser temporária. É muito comum haver uma melhora espontânea ou com a ajuda de um fonoaudiólogo.

Rouquidão definitiva também pode ocorrer sim, mas é um evento raríssimo, ainda mais nas mãos de especialistas completamente habituados com o procedimento.

Na medicina, não é ético prometer resultados, mesmo que a equipe médica tenha os mais incríveis êxitos.

Portanto, desde que tomadas as medidas de segurança, a chance de sucesso é muito alta. 

 

Por isso a importância da cirurgia da tireoide ser realizada por cirurgiões de cabeça e pescoço, de preferência compondo toda a equipe cirúrgica.

 

Vamos comparar um pouco para clarear a explicação.

Da mesma forma que em uma aeronave existe um co-piloto perfeitamente habilitado para assumir o comando numa intercorrência, na cirurgia da tireoide em geral espera-se participar mais 1 ou 2 cirurgiões em igualdade de formação operando juntos.

Segurança deve ser sempre prioritária!

 

cirurgia tireoide fortaleza

 

 

6. Terei que tomar cálcio após a cirurgia da tireoide?

 

Muita gente não faz ideia do que o cálcio tem a ver com a cirurgia da tireoide, você já sabe?

 

Vizinhas íntimas da tireoide, temos as chamadas paratireoides, que são diminutas glândulas que regulam o metabolismo do cálcio do nosso corpo.

Elas em geral são em número de 4, e têm cada uma o tamanho semelhante ao de uma lentilha.

As paratireoides costumam compartilhar da mesma irrigação sanguínea que a tireoide. E são ainda mais delicadas que os próprios nervos da voz.

 

Portanto, outra etapa tão importante quanto à preservação dos nervos laríngeos, é a identificação e preservação das paratireoides.

 

Veja na imagem abaixo um esquema ilustrativo das paratireoides, representadas na cor amarela, e sua relação íntima com a tireoide.

 

paratireoides cirurgia tireoide

À esquerda, a tireoide vista de frente. À direita, vista por trás, ilustrando as 4 pequenas paratireoides em amarelo.

 

Devido a sua manipulação obrigatória das paratireoides na cirurgia, há um risco intrínseco de ocorrer uma alteração no seu funcionamento. Em geral, nos poucos casos quando ocorre, costuma ser transitória, passageira.

 

Por este motivo, pode haver necessidade de que o paciente tenha que tomar cálcio após a tireoidectomia.

 

As paratireoides podem ser afetadas principalmente nos casos onde a glândula é muito volumosa ou hiper-irrigada (hipertireoidismo) ou quando existem metástases próximas às paratireoides.

Nestes casos, pode haver comprometimento das paratireoides por conta da própria remoção da doença da tireoide e o paciente pode desenvolver necessidade de cálcio em graus variados.

Felizmente na maioria dos casos as paratireoides não sofrem alterações significativas e, quando alteram sua função, se recuperam com o tempo.

Quando ocorre queda do cálcio, o restabelecimento das paratireoides pode levar semanas a meses, recuperando progressivamente, e até mesmo podendo não necessitar mais de reposições de cálcio.

 

O cuidado específico com as paratireoides é mais um motivo nobre para que a cirurgia da tireoide seja conduzida por uma equipe de cirurgiões de cabeça e pescoço.

 

É fundamental que o paciente e familiares saibam e fiquem atentos sobre a ocorrência de formigamentos nas mãos e lábios. Também podem ocorrer câimbras. Estes são os sintomas de cálcio baixo no sangue: a chamada hipocalcemia.

 

É importantíssimo o cirurgião informar ao paciente e familiares sobre essa possibilidade porque se esses sintomas porventura acontecerem, as medidas para contornar essa situação serão tomadas de forma ágil e tranquila.

Nesse caso é preciso comunicar seu cirurgião, que poderá introduzir ou aumentar a dose do cálcio.

Pode ser preciso procurar um hospital para a reposição do cálcio de forma mais rápida se ocorrerem sintomas mais intensos.

A tomada de cálcio rotineira nos primeiros dias após a cirurgia pode evitar ou atenuar esses sintomas.

 

Nossa equipe tem como rotina a prescrição rotineira de cálcio nos primeiro dias após a cirurgia de forma preventiva.

 

7. Como é a cicatriz em uma cirurgia da tireoide?

 

Como existe a necessidade de acesso pela pele, em todos os pacientes, mesmo que mínima, haverá alguma cicatriz.

 

Basicamente dispomos de 3 grandes fatores que devemos controlar para obtermos o melhor resultado estético possível.

 

1. Técnica cirúrgica

 

O primeiro fator que pode influenciar na cicatriz é a técnica cirúrgica empregada, e isso depende diretamente da equipe cirúrgica.

O fechamento da incisão deve ser realizada respeitando a técnica cirúrgica, sendo realizada por planos (“por camadas”), respeitando-se todos os cuidados com simetria e com pontos delicados.

O local da incisão também influencia, geralmente dando melhores resultados estéticos quando realizada sob uma prega cutânea (ou dobra de pele ou “ruguinha”), se possível, para ajudar a disfarçá-la.

O fechamento da incisão cirúrgica pode ser feito com diversas técnicas.

 

Utilizamos geralmente a chamada sutura intra-dérmica com fios absorvíveis. Com isso os pontos não ficam aparentes e não é necessário a retirada dos mesmos.

 

2. Cuidados pós-operatórios com a ferida cirúrgica

 

O segundo fator de extrema importância é o cuidado pós-operatório.

Nesse ponto o paciente e familiares são essenciais e podem ajudar bastante para uma qualidade estética melhor da cicatriz.

Os cuidados em relação aos curativos nos primeiros dias podem ser facilmente aprendidos por qualquer pessoa.

Para aprender, leia o guia passo-a-passo com as 7 simples etapas para se fazer um curativo após a cirurgia da tireoide. Basta baixar e ter em mãos esse conteúdo que encontra-se no nosso e-Book gratuito.

 

Captura de tela inteira 15032016 093839

 

 

Após a fase inicial de cicatrização, quando a região operada estiver seca, deve-se ter o cuidado de se evitar a luz solar e de usar diariamente um protetor solar, conforme recomendação médica.

Continuando sobre o assunto de cicatrização, vamos explicar um pouco sobre o terceiro fator.

 

3. Organismo do paciente e cicatrização

 

O último e também importante elemento na cicatrização de uma cirurgia da tireoide é a natureza do organismo do próprio paciente.

 

A imensa maioria das pessoas felizmente têm boa cicatrização. 

 

Mas devemos lembrar também que existem pessoas que têm uma tendência natural a formação de cicatrizes mais espessas (hipertróficas ou queloides) e com coloração diferente da pele vizinha.

Para esse grupo de pacientes existem medidas específicas que devem ser tomadas por um especialista, como um cirurgião plástico ou dermatologista, para um melhor resultado.

Apenas para reforçar: a maioria das pessoas tem boa cicatrização na cirurgia da tireoide.

Voltando ao preparo pré-operatório, seguem mais orientações valiosas.

 

8. O que devo fazer no período próximo que antecede a cirurgia da tireoide?

 

Uma recomendação essencial é a respeito do jejum.

 

Como se trata de uma cirurgia sob anestesia geral, é condição fundamental que se respeite um período de jejum de 6 horas para líquidos e de 8 horas para sólidos, ou conforme a recomendação médica.

 

É recomendado também que as refeições nos dias que antecedem o procedimento sejam mais leves e saudáveis.

Esses cuidados garantem um estômago vazio no momento da anestesia, e evitam a ocorrência da aspiração do conteúdo gástrico para os pulmões.

Nos dias que antecedem a cirurgia, evite se expor a aglomerações e também o contato com pessoas resfriadas ou gripadas.

Leve ao hospital seus objetos de higiene e uso pessoal.

Primeiramente, antes do início da cirurgia e anestesia, o paciente deve deixar todos seus objetos, principalmente metálicos, e eventuais próteses dentárias móveis no quarto com o acompanhante responsável ou com a enfermeira.

O cuidado na internação também inclui não usar peças íntimas de tecido sintético. O motivo é que não haja interferência com o bisturi elétrico usado na cirurgia.

Peças 100% de algodão são permitidas.

 

Tire também todas as suas dúvidas sobre presença de acompanhantes e horários de visita no setor de internação do hospital com antecedência.

 

9. Como é o centro cirúrgico?

 

O centro cirúrgico é um local totalmente especializado e diferente.

Lá estão presentes, além do cirurgião, médicos de diversas especialidades, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem.

Fique tranquilo, os profissionais do centro cirúrgico estão acostumados a lidar com pessoas a todos instante, muitas em situação de ansiedade com a doença e com o desconhecido.

 

Por isso é importante que os pacientes saibam que o centro cirúrgico em geral é um ambiente muito tranquilo. Tudo é feito para que o paciente seja cuidado com carinho!

 

tireoidectomia fortaleza cirurgia tireoide

 

 

Procuramos colocar na sala de cirurgia músicas e sons que transmitam tranquilidade e bom humor.

 

A equipe cirúrgica geralmente está tranquila também, afinal nossas cirurgias são eletivas. Isto é, são procedimentos programados.

Desta forma, como não há urgência, é obrigatório chegarmos até aí com todos os passos preparatórios realizados, para uma cirurgia de tireoide segura.

 

10. Como é o preparo para a anestesia numa cirurgia da tireoide?

 

Primeiramente, o anestesista irá conversar com o paciente para conhecer seus antecedentes: cirurgias prévias, doenças crônicas, históricos de medicações de uso contínuo e alergias medicamentosas.

Se possível, para ajudar, leve uma lista com todo esse histórico, principalmente o das medicações: tenha em mãos as dosagens dos medicamentos e horários de uso. Leve ao hospital todos os seus remédios de uso contínuo.

 

Em geral, as medicações para controle da pressão arterial devem ser tomados inclusive no dia da operação, para ajudar que ela fique totalmente controlada durante o procedimento.

 

As medicações que podem predispor a sangramentos, como a aspirina, devem ser suspensos com antecedência conforme orientação médica.

É rotina o médico anestesiologista checar os exames gerais pré-operatórios nesse momento.

Para dar início à anestesia geral, o anestesista ou a enfermeira irão puncionar uma veia do braço do paciente.

A partir daí as medicações serão infundidas para garantir mais tranquilidade com uma sedação bem leve enquanto o paciente está acordado, ausência de dor e náuseas e um sono tranquilo e controlado para um despertar assim que o procedimento estiver terminado.

 

11. Acabou a cirurgia, para onde vou a seguir?

 

Após a cirurgia da tireoide, o paciente é encaminhado de rotina para a sala de recuperação pós-operatória.

 

cirurgia de tireoide fortaleza

 

 

Lá o paciente continuará monitorizado a todo momento, da mesma forma que na sala de cirurgia.

Terá ao seu lado uma equipe de saúde que tem a função de acompanhar o período de transição imediato ao término da cirurgia até o paciente ter condições perfeitas de ir para o quarto.

Ali ocorre uma supervisão mais de perto, com alerta para eventuais intercorrências (eventuais sangramentos, por exemplo), e dá-se continuidade ao controle da pressão arterial, dor e náuseas.

 

12. Como ficará o pescoço após a tireoidectomia?

 

No pós-operatório imediato da cirurgia da tireoide, geralmente o paciente acordará com um curativo cobrindo a região operada.

Muitas vezes é colocado um dreno, que tem a função de eliminar a secreção natural levemente sanguinolenta produzida pelos tecidos após a cirurgia.

Pode acontecer do curativo ficar mais úmido, aí deve-se informar a enfermagem para proceder a troca. Isso pode ocorrer justamente por efeito do dreno, justamente para que esse líquido seja eliminado.

Existem também drenos à vácuo, com um coletor, utilizados em geral para cirurgias maiores.

O dreno geralmente é retirado de forma indolor (o pescoço fica insensível na região) após 24 horas, conforme a evolução do paciente.

 

13. Quais as recomendações para o paciente imediatamente após a cirurgia da tireoide?

 

Recomenda-se de forma geral que o paciente evite movimentos bruscos, esforço físico e baixar a cabeça.

 

A cabeceira da cama deve ficar sempre mais elevada, para evitar inchaço no pescoço.

A cabeça do paciente também deve ficar mais na posição neutra, evitando esticar a pele da região operada.

Geralmente, conforme liberação médica, o paciente pode se levantar da cama após ter se alimentado. Deve sempre primeiro se sentar por um tempo, para se evitar tonturas.

 

14. Posso falar após a cirurgia da tireoide?

 

Esta é uma pergunta muito frequente feita pelos pacientes. Siga a recomendação do seu cirurgião.

 

Com a cirurgia da tireoide transcorrendo de modo normal, não há nenhuma contra-indicação para a fala no pós-operatório imediato.

 

De forma geral, o paciente já pode falar assim que acorda da anestesia.

É claro que o paciente deverá ter bom senso. Respeitar um certo repouso da voz e não abusar é essencial.

Cabe aqui também uma informação pouco conhecida pelos paciente sobre um evento que às vezes pode ocorrer: rouquidão momentânea, apenas pelo efeito nas pregas vocais do tubo usado para manter a respiração durante a anestesia. Costuma recuperar em minutos ou algumas horas.

 

15. Como fica a alimentação após a tireoidectomia?

 

Na maioria dos casos, o paciente é liberado para se alimentar ainda no mesmo dia da cirurgia, conforme liberação médica.

 

É esperado um certo incômodo inicial durante a deglutição devido à inevitável manipulação cirúrgica local. Mas normalmente essa sensação é bem tolerável, e vai melhorando com o tempo.

 

Após a alta, pedimos que o paciente evite alimentos mais alergênicos, como o camarão e a carne de porco.

 

16. Como funciona a alta hospitalar?

 

cirurgia da tireoide

 

 

Cada paciente é um ser único. A evolução e recuperação de cada um que ditará o momento adequado da alta hospitalar.

Na cirurgia em que apenas a tireoide é abordada, a alta ocorre quase sempre no dia seguinte.

Muitos fatores influenciam nessa hora, desde a extensão da cirurgia até a resposta do paciente ao procedimento.

Quando também é realizada a retirada de linfonodos, também chamada de “esvaziamento cervical” ou linfadenectomia cervical, a internação pode ser mais longa.

Antes da alta, o dreno é retirado e o curativo trocado junto ao médico ou à enfermeira.

Nesse momento é importante os familiares ou amigos presentes aprenderem como são simples e importantes os cuidados com a região operada.

É mais um tempo para se tirar eventuais dúvidas.

Saiba mais sobre os curativos e cuidados no pós-operatório no e-Book sobre cirurgia da tireoide. É um material de fácil leitura e voltado para ajudar na sua recuperação.

 

Apesar das muitas variações possíveis, a alta de uma cirurgia da tireoide tradicional se dá entre 24 e 48 horas após o procedimento.

 

17. Quais as principais medicações usadas após a alta na cirurgia da tireoide?

 

O médico fornecerá então o receituário com as medicações a serem utilizadas todas por escrito e deverá orientar sobre como tomá-las.

 

A reposição hormonal é feita de acordo com a extensão da tireoidectomia. Após uma tireoidectomia total, geralmente inicia-se a reposição já mesmo no dia seguinte. Uma dose empírica é prescrita, conforme o peso do paciente, e depois ajustada com o tempo.

 

Na cirurgia parcial da tireoide, quando apenas um dos lados da glândula é removido, em geral espera-se cerca de 45 dias para uma coleta de exames de sangue, para se avaliar se haverá necessidade de tomar alguma reposição de hormônio.

Quando apenas um lobo da tireoide é removido, a chance de ser necessária a reposição dos hormônios tireóideos é de cerca de 50%.

Podem também ser prescritos os comprimidos de reposição de cálcio, se o cirurgião julgar pertinente, conforme explicado anteriormente.

 

Prescrevemos também as medicações para evitar incômodo apesar de, em geral, haver apenas dor leve após a cirurgia da tireoide. Muitas vezes é recomendada uma combinação de um anti-inflamatório e um analgésico.

 

18. Recomendação extra

 

Conforme o tempo estimado necessário para recuperação, o cirurgião também fornece um atestado médico para que o paciente se afaste de suas atividades e possa se recuperar com tranquilidade.

Lembre ao seu médico de entregar a você e familiares seu atestado médico no momento da alta hospitalar

Todas as dúvidas sempre devem ser esclarecidas com seu cirurgião antes, durante e após a cirurgia. As informações aqui passadas são de caráter educacional e nada substitui a consulta médica.

Gostou das informações? Essa é uma pequena amostra do que nosso e-Book irá oferecer a você.

 

>> Clique aqui para baixar grátis o Guia essencial sobre Cirurgia de Tireoide.

 

Eu adoraria saber a sua opinião sobre o e-Book através de um comentário logo abaixo.

E caso ele tenha sido útil para você, aproveite para compartilhá-lo com um amigo ou amiga que precise de orientações como essas para ajudar no preparo e recuperação de uma cirurgia de tireoide.

Uma excelente cirurgia e ótima recuperação!

 

Forte abraço e até o próximo artigo!

 

Saiba mais sobre agendamentos e atendimento no site.

 

Posted on 06/11/2015 in Tireoide

Share the Story

About the Author

Dr. Hugo Luz é médico e cirurgião de cabeça e pescoço pela USP (ingresso em 1998). Atua em Fortaleza-CE desde 2009 e busca focalizar seus esforços em bem-estar e saúde.

Responses (48)

  1. Giulya
    03/11/2016 at 14:19 ·

    Adorei, me deixou menos ansiosa!

  2. Dr. Hugo Luz
    04/11/2016 at 17:40 ·

    Giulya, muito obrigado pela mensagem, fico muito feliz por tê-la ajudado. Abraço grande e muita saúde!

  3. Malu
    07/12/2016 at 08:04 ·

    Texto simples e esclarecedor !

  4. Dr. Hugo Luz
    13/12/2016 at 13:41 ·

    Obrigado, Malu, pelo seu comentário!

  5. Juliana
    09/01/2017 at 20:51 ·

    Gostei muito do e-book pela maneira que estavam dispostas as informações. Os textos são dinâmicos e de boa compreensão. Isso ajudou bastante a esclarecer minhas dúvidas com relação ao antes e depois da cirurgia, pois mostra de forma completa desde os motivos para ter que realizar a cirurgia até o processo de recuperação.

  6. Juliana
    09/01/2017 at 21:10 ·

    Fiquei bem informada e mais segura, muito obrigada!

  7. Dr. Hugo Luz
    10/01/2017 at 19:55 ·

    Juliana, esse é o combustível vital que me faz continuar escrevendo! Sentir que o trabalho de produzir os artigos do Blog e o e-book foram recompensadas em ajudar você é muito recompensador! Espero um dia que cada pessoa que vá passar por uma cirurgia de tireoide possa estar bem informada, tranquila e confiante! Muito obrigado!

  8. Dr. Hugo Luz
    10/01/2017 at 19:55 ·

    Obrigado! Muita saúde e felicidades!

  9. Eli P.
    22/01/2017 at 16:50 ·

    Parabéns! Excelente texto. Farei esta cirurgia amanhã e estou mais tranquila.

  10. Dr. Hugo Luz
    24/01/2017 at 11:08 ·

    Eli, fico muito feliz pela sua mensagem!
    Desejo a você uma excelente cirurgia e recuperação.
    Fique à vontade para enviar perguntas se tiver sugestões ou dúvidas que possam ajudar a você e mais pessoas.
    Abraço grande!

  11. Ana Cláudia
    07/04/2017 at 09:34 ·

    Nossa…. Tudo de bom os artigos daqui… Muito esclarecedores!! O dr. Hugo é muito atencioso! Deus o abençoe!

  12. Dr. Hugo Luz
    07/04/2017 at 10:55 ·

    Obrigado, Ana! Fico muito feliz de saber que pude ajudar! Deus a abençoe e ilumine!

  13. Denise Uzêda
    26/06/2017 at 09:52 ·

    Adorei! A linguagem é clara e direta! Me tirou todas as dúvidas! O Dr. Hugo me passa muita segurança. Gostaria muito de ser operada por ele, só que ele não tem credenciamento com meu plano de saúde. Ainda estou a procura de um médico que me passe segurança! Parabéns, Dr. Hugo!

  14. Dr. Hugo Luz
    27/06/2017 at 14:58 ·

    Oi Denise!
    Muito obrigado pelo feedback!
    Sempre busco obter credenciamento com os planos, com propostas equilibradas. Mas nem sempre isso ocorre.
    Uma alternativa excelente que muitos pacientes têm optado hoje em dia é o atendimento ou a realização de procedimentos via reembolso nessas ocasiões.
    Qualquer dúvida é só mandar um e-mail para mim: drhugoluz@gmail.com
    Abraço grande!

  15. Alessandra
    19/08/2017 at 22:38 ·

    Adorei as informações obrigada dr Hugo.
    É normal sentir uma sensação de compressão na traqueia apos a tireoidectomia total com esvaziamento cervical?

  16. Dr. Hugo Luz
    08/09/2017 at 11:58 ·

    Olá, Alessandra!
    Obrigado pelo comentário e retorno! Escrever sobre a cirurgia da tireoide nos demanda tempo, afinal nós cirurgiões somos bem atarefados!
    Assim, fico muito feliz que o tempo dedicado aqui esteja refletindo em coisas boas para vocês que lêem o Blog!
    Sobre sua pergunta, é sim comum sentir uma sensação de compressão na região do pescoço onde foi feita a cirurgia.
    Essa sensação costuma melhorar em até 6 meses após o procedimento.
    O que não é normal é uma sensação de compressão abrupta, associada a um inchaço repentino no pescoço. Aí pensaríamos em um sangramento interno, um hematoma. Nesse caso a ida ao médico deve ser imediata.
    Se seu pescoço está com aspecto normal, provavelmente essa sensação deve ser apenas consequência da cicatrização interna.
    Por isso é importante as revisões rotineiras com seu cirurgião e informar a ele essas suas observações.
    Abraços!

  17. Ateniza Guerra
    24/09/2017 at 20:43 ·

    Parabéns dr° Hugo!

    Artigo de fácil compreensão. Super esclarecedor.

    Obrigada!

  18. Dr. Hugo Luz
    27/09/2017 at 22:07 ·

    Ateniza,
    Fico feliz demais por saber que o artigo a ajudou.
    Muito obrigado pelos seus comentários!
    Grande abraço!

  19. Rafaella Martins
    05/11/2017 at 08:33 ·

    Olá Dr Hugo. Só descobri o artigo hoje, estou operada há 2 dias. Lendo, vi que tudo ocorreu bem! Parabéns pelo esclarecimento, uma leitura fácil e de grande valor para quem está passando pela preocupação de uma cirurgia. Abraços

  20. Dr. Hugo Luz
    07/11/2017 at 15:32 ·

    Oi, Rafaella!
    Fico feliz por ter contribuído e ajudado de alguma forma nos esclarecimentos, e principalmente de saber que que você está bem!
    Desejo que tenha uma excelente recuperação.
    Muito obrigado pelo feedback!
    Abraço grande!

  21. Anderson
    09/11/2017 at 23:40 ·

    Parabéns, Dr. Hugo

    Bela iniciativa, fico feliz em ver médicos preocupados com as pessoas e comprometidos com a cura. Fui diagnosticado com carcinoma papilifero e estou buscando segurança e esclarecimentos para cirurgia.

    Anderson

  22. Dr. Hugo Luz
    20/11/2017 at 22:26 ·

    Oi, Anderson!
    É muito importante entendermos sobre nosso próprio corpo e saúde para podermos buscar sempre o melhor que pudermos.
    Tempo e qualidade de vida são bens de valor inestimável.
    Você está no caminho certo!
    Obrigado também pelo feedback!
    Ele é o combustível que me impele a continuar publicando novos artigos de qualidade sobre a cirurgia da tireoide.
    Abraço grande!

  23. Milene
    04/12/2017 at 12:26 ·

    Boa tarde Dr.

    Fui diagnosticada com carcinoma papilífero, me submeti à tireoidectomia total e esvaziamento cervical na semana passada. Ocorre que o cirurgião acha que talvez eu tenha somente tireoidite de Hashimoto, enviou o material para anatomo- patológico. O Sr. Acha q há esta possibilidade?

  24. Dr. Hugo Luz
    05/12/2017 at 09:37 ·

    Olá, Milene!
    O carcinoma papilífero da tireoide e a tireoidite de Hashimoto são doenças diferentes.
    Porém, podem confundir o especialista e o patologista (médico que interpreta as biópsias).
    A tireoidite pode gerar linfonodos inflamatórios e eles ficam mais globosos e aumentados. Isso pode dar a impressão que sejam linfonodos com metástases.
    E em alguns casos as doenças se superpõem.
    Vou explicar melhor.
    A pessoa pode ter um câncer de tireoide dentro de uma tireoide com tireoidite.
    Aí nem sempre é fácil a tomada de decisão pelo cirurgião.
    Podemos usar alguns recursos para tentar fazer essa diferenciação, como uma punção de um linfonodo detectado previamente à cirurgia.
    Nele podemos dosar, por exemplo, a tireoglobulina, que é um marcador tumoral.
    Mas isso só vale para linfonodos alterados detectados previamente à cirurgia.
    Durante o procedimento, o exame de biópsia de congelação quando disponível (feito no momento da cirurgia) também pode nortear o cirurgião a tomar a decisão por realizar ou não o esvaziamento cervical.
    Outra conduta possível, muitas vezes frente a muitos linfonodos e na impossibilidade de ter a certificação se estão realmente acometidos pelo carcinoma papilífero, é realizar a remoção regrada dos linfonodos da região.
    O exame anatomopatológico deve responder definitivamente a todas essas perguntas.
    Se forem doentes, seu médico foi prudente em os remover e a tratou adequadamente. Se forem só da tireoidite, você terá mais motivos ainda para comemorar e talvez fique livre da iodoterapia.
    A medicina não é uma ciência exata.
    Por isso, acredito ser fundamental nós cirurgiões nos cercarmos ao máximo do que a medicina pode nos oferecer para o melhor resultado possível e saúde dos nossos pacientes.
    Obrigado por mandar sua pergunta!
    Um grande abraço!

  25. Marília
    31/12/2017 at 14:02 ·

    Vou ser operada daqui a cinco dias. Foi bem útil.

  26. Jessika
    13/01/2018 at 00:21 ·

    Adorei o texto,super esclarecedor.Farei a cirurgia recentemente..Minha médica disse que eu tenho bocio mergulhante tóxico..Meu bocio está bem aumentado e está adentrando a cavidade torácica foi assim que ela me informou.Gostaria de saber mais a respeito..Se é mais grave,ou possue algum cuidado diferenciado..As vezes sinto muita dor no pescoço e queimaçao na regiao da tireiode..Desde agradeço sua atenção e obrigada por tirar nossas dúvidas com esse texto sensacional..

  27. Dr. Hugo Luz
    17/01/2018 at 07:06 ·

    Marília, bom dia!
    Fico feliz que o conteúdo tenha sido útil!
    Espero que sua cirurgia tenha sido bem sucedida!
    Agora que já deve ter feito o procedimento, aceito sugestões sobre sua experiência e se notou algo que possamos melhorar por aqui.
    Muita saúde e um abraço grande!

  28. Dr. Hugo Luz
    17/01/2018 at 23:54 ·

    Oi, Jéssika!
    Fico feliz por ter gostado do texto!
    Bócio é o aumento benigno da tireoide.
    Mergulhante é quando a tireoide ou o nódulo crescem em direção ao tórax.
    De modo geral, o bócio mergulhante é uma indicação cirúrgica clássica.
    Você pode ler mais sobre isso em outros 2 posts do Blog. Seguem os links:

    http://cabecaepescocofortaleza.com.br/indicacoes-de-cirurgia-de-tireoide/

    http://cabecaepescocofortaleza.com.br/bocio-tireoide-benigna/

    Os cuidados com a cirurgia do bócio mergulhante vão depender da sua extensão, mas a imensa maioria dos casos são resolvidos com uma incisão somente no pescoço.
    Queixas como dor no pescoço e queimação na região da tireoide pode ter ou não relação com o bócio.
    Se houver inflamação da tireoide (tireoidite), essa alteração pode gerar sintomas dolorosos ou incômodo no local da tireoide.
    Mas existem outras doenças, como o “refluxo”, que podem dar quadros de queimação.
    Espero ter ajudado!
    Abraços e obrigado por mandar suas dúvidas e comentários!

  29. Lilian capalbo
    16/02/2018 at 20:30 ·

    Muito importante o conteúdo e útil fácil de entender parabens doutor minha filha de 19 anos tem carcinoma papelifero maligno na tireoide e vai fazer uma tireoctomia total dia 3/3 ele e bem pequeno menos de 1 cm e o mefico disse que não sabe ainda se vai precisar tomar iodo radioativo será que ela não vai precisar do iodo? muito obrigada doutor pela sua atencao

  30. Ana
    26/02/2018 at 07:07 ·

    Gratidão pelas informações, vou operar hoje, me ajudou a ficar mais calma.

  31. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 12:07 ·

    Lilian, fico feliz por tê-la ajudado a entender um pouco melhor sobre o assunto!
    O fato do médico ainda não ter feito a decisão de indicar ou não a radioiodoterapia me parece algo muito bom.
    Isso porque até então não deve existir nenhum critério para isso.
    Quando o nódulo é pequeno e não existem critérios de maior gravidade, a iodoterapia não está indicada.
    Assim, quando tudo é favorável, aguardamos a biópsia final, para verificarmos se realmente não existe nenhum motivo para se realizar a radioiodoterapia.
    Desejo muita saúde a sua filha, que ela tenha uma excelente cirurgia e recuperação!

  32. Dr. Hugo Luz
    27/02/2018 at 23:39 ·

    Olá, Ana!
    Fico muito feliz que as informações tenham ajudado você a diminuir sua ansiedade.
    Espero que tenha tido sucesso na sua cirurgia!
    Desejo uma excelente recuperação!
    Muita saúde!

  33. Poliana
    12/04/2018 at 21:11 ·

    Parabéns pelo seu documentário me tirou muitas dúvidas e no mais você descreveu corretamente todos os procedimentos. Muito obrigada foi exatamente o que você relatou. Mais uma vez parabéns

  34. Name (required)
    16/04/2018 at 09:13 ·

    obrigado, ótima leitura ! retirou duvidas e alguns mitos que rondavam o imaginário.fica o desejo de muito sucesso em seus trabalhos, abraço.

  35. Dr. Hugo Luz
    06/05/2018 at 16:57 ·

    Olá, Poliana!
    Muitíssimo obrigado pelo seu feedback, por dedicar seu tempo precioso e voltar aqui para presentear nossos vistantes com sua experiência na cirurgia da tireoide.
    Espero poder estar sempre por aqui para ajudar a tirar as dúvidas de todos.
    Muita saúde e felicidades!

  36. Dr. Hugo Luz
    06/05/2018 at 17:25 ·

    Boa noite, Adilson!
    A nossa visão médica como especialista precisa ser melhor traduzida para o entendimento das pessoas.
    Só assim todos poderão participar melhor e mais ativamente nos cuidados com a própria saúde.
    E com muito mais tranquilidade!
    O foco aqui é sobre a cirurgia da tireoide, mas acredito que isso vale para todas as áreas da saúde.
    Fico feliz pelo seu comentário, muito obrigado!

  37. Marcia aparecida rocha martins da costa
    08/05/2018 at 13:29 ·

    Boa tarde Doutor.Fiz minha cirurgia está com 11 dias.Foi reirada da tireoide total estava com um nódulo.Ainda estou me recuperando.Trabalho fazendo faxina.E gostaria de saber quanto tempo eu posso ficar afastada do trabalho?

  38. Tatiana
    14/05/2018 at 21:58 ·

    Dr. boa noite!
    Tenho indicação de cirurgia, minha punção deu grau 4 por duas vezes, meu nódulo tem pouco mais de 2 cm e minha mãe teve carcinoma na tireoide. Minha dúvida é se além dessa cirurgia posso fazer outra de retirada de vesícula em curto intervalo de tempo.

    Grata

  39. Dr. Hugo Luz
    03/06/2018 at 23:42 ·

    Olá, Maria Aparecida!
    A cirurgia da tireoide é bem delicada e muitos vasos sanguíneos são ligados ou selados durante o procedimento.
    Desta forma, pedimos ao paciente que evite esforços físicos mais intensos por 30 a 45 dias, pelo risco de um sangramento ao esforço.
    Como o trabalho com faxina é considerado mais extenuante, geralmente solicito aos menus pacientes que cumpram esse período de afastamento, por 1 ou 2 meses, conforme a sua recuperação.
    Espero ter ajudado.
    Abraço grande e muita saúde!

  40. Lilian Moura
    04/06/2018 at 23:13 ·

    Meu nome é Lilian, fiz tt em janeiro e em abril deu metástase, tive que fazer esvaziamento cervical em junho e fiquei com sequelas no meu ombro direito, não consegui levantar e meu pescoço ficou travado, pois a cicatrização ficou hipertrofica sinto muitas dores no ombro e no pescoço, fora um inchaço no rosto perto da orelha que sempre persistente, já fiz iodo 200 PCI em outubro. Dr Hugo pode me falar se é normal tudo isso, estou fazendo fisioterapia, estou sentindo também, outro nódulos pelo corpo, nas duas coxas cada uma com 3 a 4 nódulos e de baixo da axila, meu médico disse que não tem nada a ver. Por favor me ajuda, sou de São Paulo

  41. Dr. Hugo Luz
    05/06/2018 at 22:04 ·

    Boa noite, Tatiana!
    Parece-me que sua indicação da cirurgia da tireoide está bem justificada, pelo grau de suspeita da punção, mantida inclusive na re-punção.
    Essa sua dúvida sobre realizar outra cirurgia ou não no mesmo tempo cirúrgico ou com algum intervalo entre elas é muito pertinente.
    O racional que uso é de tentar evitar, caso uma cirurgia possa gerar um agravo na outra.
    Por exemplo, a cirurgia da vesícula, por haver manipulação de estruturas intra-abdominais, pode eventualmente levar a uma chance mais aumentada de náuseas e vômitos.
    No pós-operatório da tireoidectomia, evito a todo custo qualquer esforço físico maior, por isso, não gosto muito dessa associação por essa possibilidade.
    No momento em que a recuperação da cirurgia da tireoide permitir, talvez com algumas semanas, liberaria para a cirurgia da vesícula, se essa não tiver caráter de urgência.
    Claro, essa é minha opinião pessoal.
    Mas outros cirurgiões podem ter rotinas diferentes.
    Espero ter ajudado.
    Abraço grande e muita saúde!

  42. Lauresi
    19/06/2018 at 09:45 ·

    Esclarecimentos maravilhosos!
    Eu não sabia o que falar no momento da consulta com o meu cirurgião, me senti um pouco perdida sem saber o que dizer em meio a tantas dúvidas e aqui todas elas foram esclarecidas…
    Parabéns pelo lindo trabalho, que o Senhor continua te abençoando e te usando para ajudar as pessoas cada vez mais!
    Muito obrigado por me ajudar com todos os esclarecimentos!

  43. Adriana
    19/06/2018 at 21:34 ·

    Boa noite Dr. Hugo!
    Fiz minha tireoidectomia total há 3 semanas. Devido a um hiperparatireoidismo, também foram retiradas 3 paratireóides – 2 com hiperplasia e outra saudável (acidental, a meu ver). Com isso, apresentei hipoparatireoidismo que, segundo meu endócrino, aparenta ser definitivo. Fiquei bastante abatida, pois terei que fazer a reposição de cálcio e de vitamina D em grandes quantidades. Não fui informada sobre esse risco e me pergunto se (i) a possibilidade de um autotransplante deveria ter sido considerada neste caso (ii) a retirada da paratireóide saudável poderia ter sido necessariamente evitada e (iii) há a possibilidade de a minha paratireóide remanescente voltar a funcionar produzindo pth suficiente para, sozinha, controlar meus níveis de cálcio. Desde já agradeço!

  44. Dr. Hugo Luz
    30/06/2018 at 17:11 ·

    Oi, Lilian!
    As sequelas no ombro devem ter relação com sua cirurgia do pescoço.
    Podem ter a ver com a dificuldade na remoção das metástases durante o procedimento.
    Na região lateral do pescoço temos um nervo chamado acessório e também pode haver ligações dele a raízes nervosas motoras.
    A manipulação cirúrgica pode ter sido intensa ou a própria doença pode estar muito próxima a esses nervos, e essa sequela não é comum, mas é possível de acontecer.
    A fisioterapia e o próprio tempo podem ajudar na sua reabilitação. A reinervação e a recuperação às vezes pode levar meses.
    Sobre os nódulos no corpo, é preciso uma avaliação médica.
    Podem não ter relação com sua doença da tireoide, mas acredito que você deva entender do que se trata.
    Fique com Deus!
    Abraço grande e muita saúde!

  45. Dr. Hugo Luz
    20/08/2018 at 16:16 ·

    Oi, Lauresi!
    Muito obrigado pelas suas palavras e carinho!
    Fico feliz por ter ajudado mesmo estando distante.
    Que Deus a abençoe e proteja sempre.
    Abraço grande e muita saúde!

  46. Dr. Hugo Luz
    20/08/2018 at 16:27 ·

    Olá, Adriana!
    A cirurgia de tireoide quando combinada com a de paratireoides deve ser ainda mais ponderada.
    Procuro a todo custo evitar transformar um quadro de hiperparatireoidismo em hipoparatireoidismo.
    Isso porque a reposição de cálcio e calcitriol não são nada agradáveis.
    Muitas vezes o tecido de paratireoide remanescente pode sim se recuperar e atenuar ou reverter o quadro.
    Por isso, só o tempo dará essa resposta e isso pode levar meses.
    A reposição mais vigorosa do cálcio e do calcitriol ajudam também nessa regeneração.
    Fique com Deus, muita saúde!

  47. olinda
    10/11/2019 at 19:44 ·

    Boa noite, Dr. Hugo.
    Estou a escrever de Portugal, após ter feito pesquisa na internet sobre cirurgia da tiróide.
    Recentemente e de forma totalmente inesperada foi-me diagnosticado um carcinoma papilar da tiróide. Nem sequer sabia que tinha nódulos na tiróide, não tinha qualquer sintoma! Fiquei em pânico. Apesar de ter falado com mais do que um profissional de saúde não consegui ficar mais tranquila. Dois desses profissionais já me conheciam e ficaram tão surpresos quanto eu quanto ao resultado deste diagnóstico.
    Estou devidamente orientada e irei fazer a cirurgia com total remoção da tiróide no inicio do próximo mês de dezembro. Reconheço que ainda me encontro ansiosa, no entanto, quero agradecer por toda a informação que disponibiliza de uma forma muito clara e que me deixou um pouco mais confiante.
    Muito obrigada

  48. Dr. Hugo Luz
    13/11/2019 at 08:44 ·

    Olá, Olinda!
    Por algum tempo dediquei-me a escrever aqui no Blog sobre a cirurgia da tireoide e sei que tenho estado mais distante deste espaço…
    Mas hoje abri denovo para checar os comentários e ler uma mensagem assim como a sua me deixa muito feliz.
    Isso me motiva a retomar meu trabalho de informar e ajudar a distância, ultrapassando os limites do oceano Atlântico! rsrs
    Mantenha os pensamentos positivos, distraia-se, nos momentos em que estiver mais ansiosa, procure se possível fazer alguma atividade física ou meditação até a sua cirurgia.
    Um abraço grande, que dê tudo certo!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top